Comportamento
18/04/2017 5 min

Canais de pessoas com deficiências e para pessoas com deficiências

Mais um público que encontra visibilidade no YouTube

Por ser uma plataforma em sua essência bem democrática, o YouTube se tornou em um espaço aberto para que pessoas até então não vistas, nem ouvidas pudessem se expressar publicamente, contar suas histórias, desconstruir estereótipos. Além da comunidade LGBT, as mulheres, os negros, as pessoas com deficiência também estão ocupando esse espaço. Como sujeitos da história que estão contando, essas pessoas conseguem expor como é conviver com uma deficiência em primeira pessoa – mostrando sim suas dificuldades e desafios, mas dando significado para si mesmos para além da deficiência. E isso é importante tanto como exemplo para quem também tem alguma deficiência, quanto para quem convive diariamente com essas pessoas e para a sociedade como um todo.

O Dialogando fez uma seleção de youtubers que convivem com diversos tipos de deficiência e contam suas histórias com muita graça, humor e sinceridade. Confira:

Aqui no Brasil, a modelo Paola Antonini, que perdeu uma das pernas em um acidente de carro, resolveu contar a sua história, mostrar seu dia a dia e sua adaptação à nova realidade em seu canal – ela também tem um Instagram bem bacana. Nos Estados Unidos, o autor e palestrante Josh Sundquist também mostra um pouco da sua realidade – aos nove anos, uma de suas pernas foi amputada devido a um câncer, mas essa é só uma de suas histórias. Outra de suas facetas é a de atleta: ele chegou a participar das Paralimpíadas de Turim, na Itália. Ele divide em seu canal situações cotidianas, trechos de palestras e também situações inusitadas relacionadas ao fato de ter só uma das pernas: o que fazer com o pé de sapato que ele não usa e suas incríveis fantasias de Halloween.

Com mais de 320 mil inscritos e mais de 15 milhões de visualizações em seu canal, Zach Anner nasceu com paralisia cerebral – o que dificultou  bastante sua formação muscular e a capacidade de se movimentar – e ganhou popularidade ao participar do antigo “Search for the Next TV Star”, de Oprah Winfrey. Nos vídeos, ele mistura bastante humor e motivação para retratar sua vida, além de protagonizar séries como Exercícios de quarta-feira. Já Lolo usa seu canal Sitting Pretty para mostrar a todos que a vida de uma pessoa com deficiência – no caso dela, uma cadeirante – vai muito além dos estereótipos. Ela fala sobre suas paixões, irritações, mostra como se diverte com as amigas, fala sobre sua vida amorosa e sexual, acessibilidade, mercado de trabalho e moda – sempre muito honesta, direta e (por que não?) divertida. Para uma outra visão sobre a realidade de uma pessoa que está em uma cadeira de rodas, dá para conferir “as aventuras e desventuras” do Teniente Dan, um youtuber chileno.

Outros tipos de deficiência para além da motora também se destacam. A youtuber surda Rikki Poynter tem uma trajetória interessante: ela iniciou seu canal com tutoriais de beleza e maquiagem e seguiu com esse foco por diversos anos. Após um pequeno período sabático, ela voltou com o objetivo de levantar a pauta da deficiência auditiva e hoje lidera campanhas para incentivar o maior número de canais a incluir legendas em seus vídeos. No meio tempo, ela também fala bastante sobre cultura pop, séries de tv, Sailor Moon e Pokemón. Outro exemplo é JD Dalton que, além de ter uma deficiência visual, é também um rapaz gay, descendente de indígenas Norte Americanos e albino. Sendo parte de tantas minorias, os vídeos de seu canal sempre buscam as diversas facetas que compõe as diferentes identidades e dão visibilidade para minorias.

O Speechless with Carly Fleischmann vem para fechar com chave de ouro. É um canal recente e com poucos vídeos, mas com mais de 190 mil inscritos. Tudo isso porque é o primeiro talkshow com uma entrevistadora autista, que sofre de apraxia de fala. Em seu primeiro episódio, Carly dá um show de carisma em sua entrevista com o ator Channing Tatum que você pode conferir abaixo:

 

 

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados