Comportamento
21/07/2017 2 min

Ciberbullying e crime na internet: quais as diferenças?

Esclarecimento é o melhor caminho para uma reflexão mais genuína sobre o tema.

Quem imagina que apenas as crianças e os jovens sofrem com comentários agressivos e ofensas pela web está enganado. Apesar de representar a maioria entre as vítimas desse tipo de violência, eles não estão sozinhos. Por definição, o ciberbullying se caracteriza pela prática que envolve o uso de tecnologias de informação e comunicação para dar apoio a comportamentos deliberados, repetidos e hostis cometidos por um indivíduo ou grupo com a intenção de prejudicar o outro.

Uma das questões que agrava o problema é o fato de a internet representar um campo bastante ilimitado, principalmente no que diz respeito à viralização dos conteúdos postados. Sabemos que em poucos minutos, uma foto ou mensagem pode se espalhar de forma extremamente rápida. Os ataques sofridos por uma vítima de ciberbullying são geralmente direcionados a características pessoais da vítima, depreciando sua imagem e afetando sua autoestima.

Quando a intimidação e as diversas agressões são praticadas por adultos, são consideradas crimes contra honra e segundo o código penal, são classificados da seguinte forma:

  • Calúnia: alguém imputando-lhe falsamente fato definido como crime;
  • Difamação: alguém imputando-lhe fato ofensivo a sua reputação;
  • Injúria: alguém ofendendo-lhe a dignidade ou o decoro.

Em muitas situações é difícil reconhecer o agressor, que normalmente se esconde por trás de perfis falsos e e-mails criados especificamente para difamar, ridicularizar e humilhar seus alvos. No entanto, as autoridades têm muitos instrumentos para, com autorização judicial, reconectar os traços digitais deixados pelos criminosos e identificá-los com precisão. No Brasil já há um importante acúmulo de responsabilização e diferentes tipos de punição, inclusive de adolescentes e seus pais na vara da infância e da juventude.

Para Rodrigo Nejm, psicólogo e Diretor de Educação da SaferNet Brasil, uma questão bastante importante se dá pelo fato das crianças estarem em desenvolvimento, aprendendo as diferenças, por vezes tênue, entre o que é brincadeira e o que pode ser considerado violência. Já os adultos precisam ter claro os limites e quando o ultrapassam devem ser responsabilizados legalmente pela conduta.

E para quem sofre qualquer tipo de violência no meio digital e precisa de um apoio, a SaferNet Brasil disponibiliza gratuitamente um  Helpline, serviço de ajuda contra crimes e violações dos Direitos Humanos na internet, que pode ser acessado por chat ou e-mail.  Esse canal oferece orientação de forma pontual para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da Internet e também orientar crianças, adolescentes e responsáveis.

 

*Rodrigo Nejm, psicólogo e Diretor de Educação da SaferNet Brasil colaborou com este artigo.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados