Segurança
13/10/2016 2 min de leitura

Como ensinar limites entre privacidade e liberdade para os meus filhos?

A internet já se tornou um dos principais meios de comunicação e simplificou rotinas off-lines. Trouxe os amigos, a refeição e o entretenimento para mais perto das pessoas com apenas um clique e, com isso, era de se esperar que nossos filhos também teriam sua rotina influenciada pela tecnologia.

A internet já se tornou um dos principais meios de comunicação e simplificou rotinas off-lines. Trouxe os amigos, a refeição e o entretenimento para mais perto das pessoas com apenas um clique e, com isso, era de se esperar que nossos filhos também teriam sua rotina influenciada pela tecnologia.

Segundo uma pesquisa realizada em 2013 pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (CETIC.br), em parceria com a UNESCO, 77% do total da população brasileira com idade entre 10-17 anos fazem uso da internet, 49% usam a internet no telefone celular. O acesso à informação pode contribuir para a educação do jovem, contudo, algumas medidas devem ser tomadas para garantir a segurança da criança.

Os pais precisam acompanhar os sites que as crianças acessam e se atentarem se a classificação indicativa condiz com a faixa etária dos filhos, assim como é recomendado com os programas de TV favoritos e brinquedos dos pequenos. Manter o aparelho em que a criança acessará a internet num ambiente de fácil circulação e numa posição onde um adulto responsável poderá observá-la durante os momentos de pesquisa ou entretenimento, assim como monitorar o histórico de navegação e conversas das redes sociais das crianças irá garantir a segurança, principalmente no que diz respeito às conversas com possíveis estranhos e ao acesso de conteúdos inapropriados.

O diálogo também é fundamental entre pais e filhos quando o assunto é internet. Explicar o porquê de alguns conteúdos serem evitados e quais o seu filho pode acessar irá construir uma relação de confiança, além de ajudar no desenvolvimento.

Psicólogos também recomendam que os pais observem o comportamento de seus filhos quando eles manifestarem que não querem mais o monitoramento de seus dados, mudanças como agressividade, ansiedade, falta de sono ou apetite, ou mesmo não querer fazer mais nenhum programa ou atividade fora do computador, isso pode indicar que há algo de errado acontecendo.

Pode parecer preocupante, mas mantendo a atenção e rotinas junto com os filhotes irá proporcionar momentos divertidos e de aprendizado. Aproveite!

Link pesquisa.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados

12/05/2017 - Matéria 3 min

Tempo de leitura

Mães.com