Comportamento
12/07/2017 3 min

Estatísticas do Bullying

Lidar com situações como as mencionadas neste artigo não é uma tarefa fácil.

Patrícia tem 18 anos e foi à praia com uma amiga num feriado prolongado, no último verão. Foi fotografada caminhando na areia por um jornal de grande circulação, que publicou sua imagem em uma reportagem sobre o movimento no litoral. Em vez de comentários sobre as praias lotadas ou o calor, uma grande quantidade de leitores optou por gastar seu tempo escrevendo sobre o corpo da jovem.

Sem conseguir dar conta de moderar uma infinidade de postagens de leitores, alguns veículos de comunicação chegaram ao ponto de fechar suas seções de comentários, entre eles a agência global de notícias Reuters, o jornal britânico The Telegraph e o diário canadense Toronto Star.

”A internet tornou mais fácil uma pessoa assediar e perseguir suas vítimas sem sofrer qualquer consequência”, afirma o site americano NoBullying, considerado uma das maiores autoridades no tema em todo o mundo. Segundo o site, um dos aspectos mais tenebrosos do ciberbullying é que na internet o agressor não precisa estar fisicamente presente.

Um estudo realizado em 2015, com 507 crianças e adolescentes brasileiras com idades entre 8 e 16 anos, mostrou a dimensão do problema:

– 66% já presenciou casos de agressões nas mídias sociais.

– 21% afirmaram que já sofreram ciberbullying e grande parte das vítimas tem entre 13 e 16 anos.

– 14% das crianças admitiram falar mal de uma pessoa para outra

– 13% afirmaram tirar sarro da aparência de alguém

– 7% marcaram pessoas em fotos constrangedoras

– 3% ameaçaram alguém

– 3% assumiram zombar da sexualidade de outra pessoa

– 2% disseram já ter postado intencionalmente sobre eventos em que um colega foi excluído.

Lidar com situações como a mencionada no início deste artigo não é uma tarefa fácil. Neste sentido, a SaferNet Brasil disponibiliza gratuitamente um  Helpline, serviço de ajuda contra crimes e violações dos Direitos Humanos na internet, que pode ser acessado por chat ou e-mail. É importante destacar que esse canal oferece orientação de forma pontual para esclarecer dúvidas, ensinar formas seguras de uso da Internet e também orientar crianças, adolescentes e responsáveis.

VOLTAR

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados