Inovação
13/10/2017 4 min

Inteligência Artificial: a ciência do impossível

Tecnologia já usada em larga escala na interação digital viabiliza iniciativas inovadoras

Se você realiza no dia a dia tarefas como procurar um termo no Google ou acessar a melhor rota no trânsito, é sinal de que a Inteligência Artificial já faz parte da sua vida. Embora o nome remeta aos filmes de ficção científica, essa tecnologia avançada vem sendo utilizada cada vez mais para otimizar processos e gerenciar interações online em uma infinidade de aplicações diferentes, mas todas eficientes. E algumas impressionantes.

A Inteligência Artificial é uma sofisticada programação que possibilita às máquinas analisarem uma quantidade gigante de dados em poucos segundos, identificar padrões e sugerir resultados ou ações. Nos últimos anos, essa técnica evoluiu ainda mais, possibilitando que estes computadores também estabeleçam novas conexões à medida que recebem mais dados. Em linhas gerais, quanto mais é utilizado, mais esperto ele fica.

Um exemplo de aplicação que acompanha muitas pessoas em todas as suas atividades são os assistentes digitais inteligentes, como Siri, da Apple, Cortana, da Microsoft, e Google Assistant.  Programados para reconhecer instruções de voz, respondem a perguntas, pesquisam tudo o que você precisar saber e conectam a serviços e aplicativos integrados. Segundo alguns usuários acostumados ao bate-papo diário, também fazem companhia, mas é recomendável não se apegar! É um robô, lembra?

Saiba mais sobre os assistentes digitais:

Grandes empresas já identificaram o potencial da Inteligência Artificial e investem em inovação, com boas chances de revolucionar áreas de conhecimento.  Com seus próprios projetos ambiciosos em segmentos como saúde e segurança, cinco das maiores corporações mundiais de tecnologia – Google, Microsoft, Facebook, Amazon e IBM – uniram forças e criaram a Partnership on AI , associação dedicada a estudar as melhores práticas e atuar como plataforma aberta para debater e impulsionar as iniciativas.

Com tanta demanda, começa a faltar profissionais especializados e já surgem graduações específicas – inclusive virtuais. Há cursos gratuitos de introdução na web, como o do Instituto de Tecnologia de Massachusetts (MIT). Já a Udacity, universidade online criada por professores da Universidade de Stanford e apoiada por gigantes como Google, AT&T e  Facebook, oferece o “Nanodegree” para Engenheiro de Inteligência Artificial. A chamada do curso já define bem o que a Inteligência Artificial significa para a era moderna: “aprenda a construir o impossível”.

VOLTAR

32 Comentários

  • Adauto disse:

    Quando a IA substituir os políticos e os funcionários públicos tudo vai ficar maravilhoso, não haverá erros, processos esquecidos em gavetas e o ser humano vai fazer só o que nasceu pra fazer, viver a vida é ser feliz….praia, festas e desenvolvimento de artes, músicas e família.

  • Victor disse:

    Temos um mundo de informações ao nosso dispor, o difícil é saber utilizá-lo. Precisamos usar as ferramentas certas, senão de que adianta ter tudo isso ao nosso dispor sem ter como alcançar?
    Quanto a AI, é uma tecnologia muito poderosa, e se por acaso, algum dia, perdermos o controle sobre ela, estamos fadados a derrocada.

    • Dialogando disse:

      Gostamos do seu comentário, Victor. No entanto, não podemos nos esquecer que os próprios humanos programam a Inteligência Artificial. Para evitarmos problemas com essa tecnologia, precisaremos de muito debate que discuta o seu regimento ético. 😉

  • Paulo Cezar disse:

    O futuro quê víamos nos filmes de ficção está chegando.e isso é maravilhoso.para muitos é quase um milagre.o que assusta é o quê vai ser feito com esses muitos quando a mão de obra braçal e sem formação acadêmica não tiver nenhuma utilidade.

    • Dialogando disse:

      Com certeza essa é uma preocupação muito importante, Paulo. Por isso devemos nos preocupar com que todos tenham acesso a uma boa educação, para que possamos trabalhar com as novas tecnologias do futuro para o benefício comum. ?

  • Toy Morais disse:

    Sabedoria não é IA, tão pouco é quem está por traz. A tendência é o caçador virar caça. Mesmo com protocolos de segurança, a falta de uma base moral implica na lei da sobrevivência a todo custo. Qualquer ameaça será rechaçada friamente e com precisão quântica. O criador da IA historicamente insiste em ser amoral, portanto, como crer que a mesma seria criteriosa. Uma teoria sobre uma base moral fundamentada na lei de causa e efeito teria que ser a própria essência do código fonte. Imaginemos um conjunto de sub rotinas escritas com base em princípios tais como: honestidade gera confiança, confiança gera cooperação, cooperação gera progresso, progresso gera satisfação, satisfação gera constatação de que a honestidade foi o elemento inicial correto nesta equação que tem a preservação da vida como objetivo.

  • Toy morais disse:

    Em pouco tempo o avanço no desenvolvimento de IA cruzaria os limites de segurança humanos. Assim como o homem não respeita limites, sua criação (sistemas baseados em IA) tão pouco respeitaria. A criatura imita o criador e almeja supera-lo.

  • bringue disse:

    Gostei muito.
    E gostaria de estudar nessa universidade ser inovador

    • Dialogando disse:

      Que ótimo saber disso! Precisamos cada vez mais de ideias inovadoras. Acesse o link citado na matéria para conhecer os cursos oferecidos pelas universidades e instituições mencionadas. ?

  • Paulo de Tarso Arruda Correia disse:

    A inteligencia artificial vem sendo considerado como a maior ameaça à existência da raça humana pelo genial Elon Musk que é um físico e programador que se tornou empreendedor de sucesso nos campos de fronteira da tecnologia na industria espacial com a SPACE X, na de carros elétricos com a TESLA e de energia renovável com a TESLA SOLAR. Hoje todos os sistemas estão integrados pela WWW que suporta cada vez mais tarefas estratégicas à nossa sobrevivência como transações bancárias, sistemas de saúde, de segurança, de transporte, de comunicação de voz e de imagens, sistemas de comunicação pública e de notícias, e a tecnologia de armazenamento nas nuvens de nossos dados pessoais e arquivos. Imagine se um sistema destes de IA é desenvolvido para fins de controle da rede mundial e dotado de inteligência e capacidade extrema, penetra na rede e passa a controlá-la podendo provocar conflitos, oscilações no mercado financeiro, etc, talvez para favorecer os interesses de que controla estes sistema ? Capacidade computacional (hardware) hoje está cada vez mais acessível e poderosa (vem ai a computação quântica já materializada pela IBM com um processador de 4 Qubits. A GOOGLE com a canadense D-Wave também já desenvolveu um computador com um pequenos processador quântico que está sendo usado pela NASA ) . Falta somente o software. Lembra o Elon Musk que a GOOGLE já desenvolveu um sistema baseado em IA que bateu o melhor jogador de GO do mundo sendo agora capaz de jogar simultaneamente com 15 jogadores e ganhar de todos (o GO é um jogo muito kais complexo que o chadrex e não se esperava que tão cedo uma máquina batesse um campeão humano neste jogo). Pede o Elon Musk que os legisladores considerem mais seriamente os riscos da IA, dando como primeiro passo o estudo desta matéria para a seguir estabelecer uma legislação que minimize a possibilidade de desenvolvimento destas aplicações do mal, que não são ficção cientifica mas estão se tornando inteiramente plausível com o avanço da IA. O filme DO EXTERMINADOR DO FUTURO que imagina a SKY NET como uma entidade que fugiu ao controle e passa a combater o ser humano, pode não ser tão irreal assim com o avanço da robótica, da computação quântica e dos sistemas de IA. Nem tudo são flores e prudente é desconfiar e temer.

    • Dialogando disse:

      Paulo, seu comentário traz importantes questões e preocupações do avanço da tecnologia da robótica e da inteligência artificial. Por isso acreditamos que promover o diálogo é a melhor solução, porque por meio dele conseguimos trazer esse debate para o público e fazer com que esse tema seja cada vez mais discutido na sociedade. Esse é um dos caminhos possíveis para transformar esse debate público em legislação e em um regimento ético das tecnologias. ?

  • Ana Lucia disse:

    Parece que filmes como Eu Robô. vão deixar de serem apenas sonhos de loucos escritores, e vão se tornar a realidade de muitos.
    Espero que não acabe imitando também O Exterminador do Futuro.

  • mILTON PEREIRA disse:

    A evolução da inovação é inexorável. O futuro será magnífico, mas também preocupante, dependendo do modo que administraremos a inteligência artificial. Um grupo cada vez maior de cientistas tem alertado sobre a “era pós humana”, com um hipotético risco dê “robôs inteligentes” tentarem se sobrepor à nos humanos. Precisamos inovar, sem esquecer da autonomia sobre a segurança.

    • Dialogando disse:

      Sem dúvida nenhuma é um assunto que precisa muito ser debatido na sociedade, não só por cientistas, mas por toda a população. Incentive esse diálogo com seus amigos, Milton! E depois dá uma passadinha aqui no Dialogando e compartilhe um pouco da conversa de vocês. ?

  • Alexandre disse:

    Adorei,muito bom vamos trabalhar sempre pela evolução contínua.

  • Leandro disse:

    incrível como a inteligência artificial ela pode facilitar a nossa vida no dia a dia simplesmente com esses exemplos que você me deu nesse texto aí sobre você usar o GPS para localizar aonde eu estou na casa da minha localização e também toda vez que eu for fazer uma pergunta e ele pesquisar é uma coisa que facilita a vida nossa no dia-a-dia achei bastante interessante e isso só apenas o começo

  • MARCELO FAZOLIN disse:

    Gostei da matéria, boa introdução ao tema.
    Tem também o Watson da IBM, é o principal foco da empresa.

  • jevin disse:

    Já pensou se isso começa a funcionar em robôs, seria muito legal ter um casa!

    • Dialogando disse:

      Muitos autores já especulam sobre isso em livros, filmes e séries, e acreditam que no futuro viveremos uma sociedade de humanos e robôs inteligentes! Assim como no filme ‘Ela’, que já foi assunto de uma matéria nossa no Dialogando!

  • Armando Carvalho disse:

    ‘é o começo do fim

  • Osmar Pereira do Prado disse:

    Precisamos “cultivar” (ou descobrir) mais inteligências. Só com procedimentos inteligentes será possível melhorar o universo. Obrigado!

    • Dialogando disse:

      Obrigado a você pelo comentário, Osmar! Continue interagindo com a gente em mais textos do Dialogando. ?

  • gilberto m. matos disse:

    GOSTEI DO QUE VI.

  • J G disse:

    Matéria importante , para todos, conhecer essa informação é como abrir uma janela estando em uma nave espacial e ver nosso Planeta com a distancia necessária para ter uma visão do todo

    • Dialogando disse:

      Que bom que você gostou da nossa matéria! Compartilhe ela com os seus amigos. ?

  • Jorge disse:

    O menu cobre a página. Difícil de ler usando celular ou tablet.

    • Dialogando disse:

      Jorge, obrigado pelo seu comentário. Gostaríamos de lhe ajudar a entender o seu problema. Você pode nos informar o sistema operacional do seu dispositivo e o navegador que utiliza para acessar o Dialogando?

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados