Educação
28/08/2017 4 min

JOGAR VIDEOGAME INCENTIVA CRIANÇAS A CRIAR SEUS PRÓPRIOS JOGOS

Aumenta o número de escolas voltadas ao ensino de design e programação para crianças. Conheça os benefícios desses cursos para além dos próprios jogos.

O interesse de crianças por criar os próprios jogos com certeza não é novo. Isso acontece fora do mundo digital com o faz-de-conta a todo momento e, querer aprender a criar jogos digitais inspirado pelo videogame também não é novidade, já que muitas crianças dos anos 80 e 90 também nutriam esses sonhos. O que muda é que temos uma geração que nasceu num mundo digital e que, tanto no mercado quanto na internet, tem mais acesso à informação e tecnologias que facilitam transformar ideias em realidade.

A Código Kid, escola que oferece cursos de programação, design e edição de vídeos no interior de SP, tem como o maior público crianças de 7 a 12 anos. Raffaella Marchese, proprietária da escola, afirma que a programação estimula o raciocínio lógico, criatividade e curiosidade e, num futuro próximo, ela será mais uma linguagem necessária.

Visão que é reforçada por Daniel Furtado. Para ele, estudar design e programação ainda na infância traz um enorme ganho e auxilia a entender os problemas de maneiras diferentes, criando soluções mais criativas. Isso ele pode dizer por experiência própria, pois começou a estudar programação aos 8 anos e conta que essa experiência foi fundamental para sua carreira em design de interfaces.

Essa vontade de criar das crianças pode ser vista no jogo mais popular desta geração: Minecraft. O jogo lançado em 2011 tem uma proposta simples, que é deixar o jogador livre para criar um mundo do seu jeito. Dois fenômenos interessantes que vêm acompanhando os games são: a atividade de modding e a popularidade de canais no YouTube que exploram o jogo.

Modding é a atividade de modificar o código do jogo para mudar o visual de personagens, cenários, texturas etc. Com essa técnica, é possível transformar um jogo que tinha visual parecido com o mundo atual e fazê-lo voltar a era mesozoica, marcada pelo surgimento dos dinossauros, ou ir para uma visão futurística.

O segundo fenômeno que merece ser destacado é o de vídeos de gameplay – pessoas que se gravam jogando. Há jogadores no YouTube hoje mais populares que ícones pop, como é o caso do PewDiePie. No Brasil, pelo menos três do top 10 de canais com mais inscritos são voltados a Minecraft, como o RezendeEvil, AuthenticGames e TazerCraft.

Jogar videogame está se tornando uma atividade mais ativa e social. Pois não basta jogar, é preciso aprender como funciona, como modificar, como criar e como divulgar. Para isso, escolas de programação, cursos à distância on-line e canais de games estão aí para ajudar. Já vimos por aqui crianças que lançam seus próprios aplicativos.

Vamos nos envolver com as crianças, incentivar seus interesses e potencializar suas habilidades. Criar um mundo melhor é um jogo onde todos ganham!

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados