Inovação
03/10/2016 5 min de leitura

Meu nudes caiu na net, o que eu faço?

Responda rápido: Seu nude caiu na net. O que você faz?

Responda rápido: Seu nude caiu na net. O que você faz?

Do inglês nude que significa Nu, o termo “nudes” vem ganhando grande repercussão nas redes sociais nos últimos tempos. Durante anos, a maioria das vítimas de pornografia de vingança (a tal revenge porn em inglês) – pessoas que tiveram suas fotos nuas compartilhadas on-line sem permissão – basicamente, não poderiam fazer nada sobre isso. O poder dessas “imagens proibidas” é tão forte que em poucos minutos um único corpo pode ser visto, comentado e compartilhado por milhares de internautas.

Pesquisa realizada pela SaferNet e Vivo (GVT) em 2013 com 2834 jovens brasileiros revelou que 24% diz já ter namorado ao menos uma vez pela Internet e, dentre estes, 44% já o fez mais de 2 vezes. Já 20% dos entrevistados afirmaram que já receberam conteúdos de sexting e selfie com nudez e 6% reenviou essas imagens a outras pessoas. 68% dos participantes afirmaram ter ao menos 1 amigo que só conhece pela Internet.

Foi por isso que Microsoft e Google — que operam dois dos maiores motores de busca na web — finalmente disseram “chega!”

A Microsoft lançou recentemente um novo site, no qual as pessoas podem denunciar conteúdo impróprio e pedir a sua remoção dos resultados de pesquisa do Bing, bem como Onedrive e Xbox Live.

Já o Google, tem trabalhado para enfrentar e reprimir a pornografia de vingança, ou conteúdo sexualmente explícito publicado sem a permissão dos envolvidos.

E se fosse uma imagem sua? O que você faria? Em casos de exposição indesejada recomenda-se que a vítima procure o site ou blog em que a imagem foi publicada e peça sua remoção. Se a vítima for menor de idade, é crime de pornografia infantil e pode ser denunciado diretamente a SaferNet.

Mas para que isto não aconteça, o jeito é cuidar bem dos seus arquivos e dados online, tomar cuidado com as redes públicas de Wi-Fi, usar uma assistência técnica confiável ou até a criptografia — fazer com que os seus dados sejam “embaralhados” e só possam ser vistos ordenados corretamente por quem possui a senha.

Confira alguns indicadores da Helpline da SaferNet Brasil

Em 9 anos de funcionamento da HelpLine, a SaferNet Brasil ajudou 11.443 pessoas em 24 estados.

O maior número de casos recebidos pelo serviço continua sendo imagens de nudez e sexo compartilhadas sem consentimento (Nudes), foram 322 casos.

O número de casos envolvendo compartilhamento de imagens de nudez e sexo sem consentimento aumentou 43.75% em relação a 2014.

Veja a evolução e o aumento dos casos de nudes ao longo dos anos.

2007 – 5 casos

2008 – 29 casos

2009 – 36 casos

2010 – 25 casos

2011 – 46 casos

2012 – 48 casos

2013 – 101 casos

2014 – 224 casos

2015 – 322 casos

Gênero

Feminino – 240 (74,5%)

Masculino – 80 (24,8%)

Não identificado – 2 (0,7)

Faixa etária

10 a 12 anos – 5 (1,55%)

13 a 15 anos – 24 (7,45%)

16 a 17 anos – 46 (14,3%)

18 a 24 anos – 107 (33,2%)

acima de 25 anos – 137 (39,5%)

Não- classificados – 13 (4%)

Ambientes onde os nudes foram compartilhados:

Whatsapp – 71 (22%)

Facebook – 64 (20%)

Instagram – 6 (1,9%)

Secrets – 2 (0,62%)

Tumblr – 2 (0,62%)

Twitter – 1 (0,42%)

Outros serviços de relacionamento – 13 (4%)

Outros serviços de compartilhamento – 19 (6%)

E-mail – 6 (1,9%)

Sites de jogos – 2 (0,62%)

Outros – 42 (13%)

Não identificado – 94 (29%)

Total – 322

Veja algumas das campanhas SaferNet sobre o tema:

Revenge porn

Campanha do Unicef

Ganhou Cannes Lion

Boa repercussão nas redes sociais

*A palavra sexting é a junção de dois termos em inglês: sex (sexo) e texting (envio de mensagens). O termo – que já ganhou até definição no dicionário -resume o compartilhamento, via celular, de textos ou imagens de cunho sexual, mas passou a englobar também conteúdo exposto na internet.

*Crédito imagem: Unicef

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados