Comportamento
01/01/2018 4 min

O bem e o mal ao alcance das teclas

Conectividade proporciona mobilização rápida e global, mas traz desafios à expressão da diversidade

As redes sociais refletem o perfil da sociedade, e a facilidade de exposição de conceitos e preconceitos, com o amplo acesso aos mais diversos dispositivos tecnológicos, traz à tona a importância da conscientização do uso do meio digital. Hoje se torna muito fácil e rápido compartilhar, divulgar, viralizar um vídeo. Um deles, feito por um paciente de câncer, que estimula a prevenção,  alcançou mais de 7 milhões de visualizações. No entanto, manifestações de ódio que destilam preconceito em forma de ofensas também são facilmente difundidas com simples cliques em celulares e notebooks, e ganham dimensões jamais atingidas em qualquer outro meio de informação.

Em mais de 11 anos de atuação, a SaferNet Brasil, ONG dedicada à promoção e defesa dos Direitos Humanos na internet, já recebeu quase 4 milhões de denúncias de abusos e de condutas preconceituosas. Mas o que leva pessoas comuns a um comportamento que jamais teriam no mundo desconectado? “Um dos maiores dilemas do ser humano é harmonizar sua persona e sua sombra, conceitos propostos pelo psiquiatra Carl Gustav Jung para definir a oposição entre as características que criamos para nos proteger do mundo externo e nossos aspectos mais controversos, relegados ao inconsciente”, explica a psicóloga Simone Miranda Rosa, que atua há 17 anos como psicoterapeuta de crianças, adolescentes e adultos.

Simone acrescenta que os internautas se sentem protegidos pela distância e subjetividade das relações virtuais e proteção da tela de seu dispositivo eletrônico. “A sombra de cada um aflora e cria um personagem paralelo, que muitas vezes não tem similaridade com a vida cotidiana”, diz. “Em contrapartida, a internet permite que todos possam promover ações positivas e filantrópicas. Cabe à sociedade elevar o nível das discussões e estimular o respeito e a liberdade, assim como na vida real”, diz.

No Brasil, a liberdade de expressão é garantida pela Constituição. O problema é o uso dessa premissa para justificar de maneira distorcida as declarações ofensivas ou a apologia a qualquer forma de desrespeito à condição, direitos e opiniões do outro. Essa conduta, seja on-line ou off-line, é criminosa e passível de punição.

Para denunciar um ataque de ódio e outros crimes virtuais de forma anônima clique aqui.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados