Comportamento
04/08/2017 2 min

Se pedalar, não tecle

É cada vez maior o número de governos que proíbem o uso do celular sobre uma bicicleta em movimento – até com multas para quem descumpre a norma.

Um estudo feito na Holanda mostrou que os ciclistas aumentam os movimentos laterais e de ziguezague enquanto estão usando o celular – seja para conversar, ler uma mensagem ou teclar – elevando o risco de acidentes. A pesquisa também descobriu que três em cada quatro pessoas, entre 12 e 34 anos, usam o smartphone enquanto pedalam. Dos 35 aos 49 anos, a porcentagem despenca para 47%, e depois dos 50 anos apenas 34% dos ciclistas usam o celular de bike.

Em razão desses números, o governo holandês ameaça proibir totalmente o uso de smartphones sobre duas rodas, ainda que seja somente para ouvir música. Pois segundo pesquisas, 83% dos ciclistas não escutam um sinal de alerta por causa dos fones de ouvido. O trânsito requer atenção total e até a música pode atrapalhar. Mas a Holanda é só um exemplo. Países como o Japão passaram a aplicar multas a ciclistas. Nos Estados Unidos, onde a legislação é mais estadual e municipal, a cidade de Chicago proibiu a digitação de textos.

Mas a questão é polêmica e não falta quem discorde. “Nunca houve debates sobre proibir nos automóveis painéis com sistemas de som, porta-latas e enormes telas de GPS sensíveis ao toque, porque os motoristas têm o direito de se distrair”, critica o urbanista canadense Lloyd Alter, especialista em mobilidade urbana. “São os ciclistas e, claro, os pedestres a ameaça com suas pequeninas telas.”

Para Alter a questão é simples: carros podem matar várias pessoas de uma vez; os ciclistas fazem mal a si próprios. Segundo ele, não há termos de comparação. “As pessoas fazem bobagens e se machucam o tempo todo, seja em uma bike, a pé ou simplesmente vivendo suas vidas. Vamos fazer um debate sobre isso? ”, ironiza.

Ele não nega que a questão seja importante, mas diz que o foco não é a proibição e punições, mas sim a segurança e a educação.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados