Sustentabilidade
15/12/2016 2 min de leitura

Tecnologia Verde

Caminhos sustentáveis com a tecnologia

A Terra tem hoje cerca de 7,5 milhões de habitantes e deve passar dos 10 bilhões até 2025, segundo projeções da ONU. A Organização das Nações Unidas prevê que esse adicional humano vai comprimir os já escassos recursos naturais do planeta, reduzindo as reservas de água potável e elevando o consumo de energia em até 60% daqui a pouco mais de uma década. Isso tudo deve acontecer em meio a desperdícios de energia, mudanças climáticas e uso abusivo de recursos naturais, como o desflorestamento. Mas por que que um site de tecnologia está falando de ambiente? O que tem a ver uma coisa com a outra? Tudo.

“O ritmo de destruição do meio ambiente é tão intenso que só o poder multiplicador da tecnologia é capaz de mitigar esses efeitos”, afirma a engenheira ambiental Valdirene Vasconcelos, diretora da Engetrab, empresa paulista que presta consultoria em trabalho e meio ambiente. Segundo ela, a tecnologia ambiental – também chamada de TI Verde e tecnologia limpa, entre outros nomes – não é apenas importante. “Ela é vital, indispensável”, acrescenta. “O espectro da tecnologia ambiental já é muito abrangente”, diz Valdirene. “Ela está presente desde a geração de energias renováveis, como a eólica e fotovoltaica, até na química verde, passando pelo descarte de resíduos eletrônicos e pelo desenvolvimento de dispositivos e equipamentos de análise e monitoramento.”

A ciência não para de buscar saídas tecnológicas para as ameaças ambientais na terra e no mar. Conheça algumas ideias que podem ajudar o planeta no futuro.

No mar…

A Terra tem um nome inadequado, porque 70% de sua área é coberta de líquido. Só que salgado. A falta de água vai afetar boa parte da população do planeta ainda na primeira metade desse século e, por isso, a dessalinização do mar é uma saída. Por ora, o problema é que fazer a água evaporar para separá-la do sal consome muita energia, que é outro problema ambiental. Mas o mar também pode trazer a solução para esse problema. Há vários estudos em andamento para usar as ondas do mar para girar turbinas e gerar eletricidade. Outra linha de pesquisa é usar os oceanos para a produção de energia térmica. Essa enorme massa de água absorve o calor do sol, que pode ser convertido em energia elétrica. A tecnologia já funciona, mas há um longo caminho a trilhar até que a ideia seja economicamente viável.

Na terra…

O automóvel nosso de cada dia espalha muitos problemas pelo ar. Os carros elétricos têm sido vistos como uma excelente alternativa, mas a questão é a origem, nem sempre sustentável, dessa energia. Por isso, veículos movidos a hidrogênio podem ser uma alternativa no futuro, pois, em vez de fumaça, eles emitem água – e limpa. Outra fonte de problemas para o ambiente nas mãos de cada um de nós é o papel, que consome milhões e milhões de árvores no mundo todo para depois virar lixo. Cientistas vêm pesquisando o chamado papel eletrônico – que se parece muito no tato e na aparência com o feito de celulose. Ele não parece uma tela, mas é. Nele estão presentes milhares de microcápsulas com partículas pretas e brancas. Dependendo da carga elétrica, elas aparecem, mostrando fotos e textos. E você só vai precisar de uma folha para ler o jornal todo dia e, ao mesmo tempo, um livro.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados