Comportamento
18/08/2017 2 min

Vale tudo por um like?

Jovens têm colocando a própria vida em risco em busca de sucesso na web

A busca incessante por curtidas, comentários, visualizações de amigos e desconhecidos têm levado jovens a buscar cenários perigosos e a colocarem a própria vida em risco. Com o objetivo de entender melhor esses trágicos episódios, pesquisadores americanos mapearam os locais e as causas das mortes em vários lugares do mundo.

O primeiro registro de alguém que morreu por causa de uma selfie é de março de 2014. A partir daí, eles descobriram que foram registradas cerca de 127 mortes ocasionadas pelo mesmo motivo ao redor do mundo. Curiosamente, os dados mostraram que 76 mortes ocorreram na Índia, nove no Paquistão, oito nos Estados Unidos e seis na Rússia. Entre as causas mais prováveis de morte, está a queda de grandes alturas, com pessoas indo até penhascos e topos de prédios para tirar selfies e movimentar as redes sociais.

Apesar de o estudo não ter registrado nehuma morte por selfie no Brasil, o comportamento do brasileiro com relação a postagem de fotos também é intenso e casos isolados já começam a aparecer. No início deste ano, por exemplo, o artista plástico Pierre de Freitas morreu após cair de um penhasco na região da Serra do Carmo, na zona rural de Palmas. O acidente aconteceu em uma trilha de difícil acesso e segundo informação do Corpo de Bombeiros, ele caiu de uma altura de cerca de 70 metros – equivalente a um prédio de 20 andares.

Campanhas de conscientização

Na Rússia, o governo lançou uma campanha para que os cidadãos tomem mais cuidado ao tirar selfies. “Antes de tirar uma selfie, todos deveriam pensar que a corrida por um alto número de ‘curtidas’ pode levá-los a uma jornada para a morte e que suas fotos extremas mais recentes podem acabar sendo póstumas”, avisou Yelena Alexeyeva, assessora do ministério.

Enquanto campanhas como essa não são criadas no Brasil, algumas dicas simples podem ser bem úteis no momento de capturar um momento incrível com sua câmera ou smartphone. Procure lugares seguros e respeite as regras e sinalizações de segurança do local. Além disso, vale lembrar sobre o bom senso e o respeito à vida, que devem sobressair em relação a qualquer interação nas redes sociais.

VOLTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados