Inovação
02/04/2018 3 min

Tempo de leitura

As máquinas estão aprendendo a ler

Como esse passo no desenvolvimento da inteligência artificial pode afetar os humanos?

A capacidade de se comunicar com uma linguagem complexa é um dos traços que marcam a nossa humanidade. E então chega a notícia de que inteligências artificiais conseguem ler melhor que humanos.

O teste feito com modelos de rede neural desenvolvidos pela Microsoft e pela Alibaba, a gigante empresa chinesa de tecnologia, avalia capacidade de leitura e compreensão por meio de um método desenvolvido pela Universidade de Stanford chamado SQuAD (Stanford Question Answering Dataset).

O SQuAD usa perguntas sobre artigos da Wikipedia para fazer questões elaboradas pela comunidade online cujas respostas são trechos do próprio texto.  Com suas mais de 100 mil questões e mais de 500 artigos, o SQuAD tem um banco de dados expressivamente maior do que os de testes similares.

A maior pontuação humana em uma das métricas, ExactMatch (EM), que identifica respostas idênticas ao esperado, era de 82.304. No início de janeiro de 2018, a Microsoft pontuou 82.650 e a Alibaba fez 82.440.

É importante ressaltar que, apesar de ser um passo relevante no desenvolvimento deste tipo de inovação tecnológica, o teste mostra que as máquinas são capazes de identificar os trechos de um texto mais relevantes a partir de um contexto, mas isso não significa que elas compreendem o que está sendo dito.

De qualquer forma, Lou Si, o cientista chefe do departamento de processamento de linguagem natural da Alibaba aponta que essa tecnologia pode ter diversas aplicações no mercado, como atendimento ao cliente, tutoriais em museus e consultas médicas on-line.

O que quer dizer que mais postos de trabalho antes ocupados exclusivamente por pessoas que possuíam capacidades exclusivamente humanas agora poderão ser substituídas por máquinas. No entanto, um dos porta-vozes da Microsoft Andrew Pickup indica que o verdadeiro valor da inteligência artificial está na possibilidade de atuar em harmonia com os humanos.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

3 Comentários

  • Johnson Inacio Alvino says:

    Pq o homen é q controi as maquinas conforme as suas nececidades adversas e não conforme as nececidades das maquinas.

  • Jeferson Silva says:

    É preocupante ler uma noticia dessas. Eu sei que todas as empresas querem cortar gastos e isso é necessário. O problema vai ser: Para quem as empresas vão vender quando todos os cargos forem substituídos?

    • Dialogando says:

      Importante questionamento, Jeferson. Com certeza devemos continuar dialogando com toda a sociedade sobre a evolução da inteligência artificial.

Artigos relacionados