Inovação
03/12/2018 3 min

Tempo de leitura

Astronomia: inovação direto do espaço para o seu quintal

Parece coisa de outro planeta, mas muitos tipos de inovações que estão em nosso dia a dia foram originalmente desenvolvidas para as missões espaciais

Presente no imaginário de adultos e crianças, os mistérios que rondam o espaço sideral, os corpos celestes, o sistema solar e a emoção das jornadas em galáxias distantes são cada vez mais personificados no mundo inteiro pela ciência e pelo conjunto de informações desenvolvidos pela National Aeronautics and Space Administration, ou Nasa, como é conhecida a agência espacial norte-americana.

Com mais de 17 mil funcionários – incluindo até mesmo o cargo de oficial de proteção planetária, responsável por, acredite, defender a Terra dos alienígenas – e 17 sedes entre centros de operação e laboratórios de pesquisas, é compreensível que as missões espaciais, com seu conhecimento científico e descobertas concentrem todas as atenções.

Mas é preciso também falar alguma coisa da outra faceta tão relevante quanto essa e não tão divulgada: a contribuição de seus cientistas, com todo o conhecimento adquirido a partir das missões junto a objetos celestes, para o desenvolvimento de milhares de tecnologias que há décadas fazem toda a diferença e trazem inovação a nosso dia a dia, algumas bem populares, e que, pela sua diversidade de aplicação, beneficiaram muito mais do que apenas a comunidade dedicada à astronomia.

A informação é que recentemente, a Nasa lançou um site interativo em que destaca 130 novas tecnologias, apresentadas de maneira lúdica para levar diversão, ideias inovadoras e informação ao público em geral, sob medida para agradar à garotada.

Confira abaixo cinco inovações que vieram do espaço para facilitar sua vida. #futurosustentável

Cinco tecnologias que não existiriam sem as viagens espaciais: Câmeras dos celulares, LED's, Sistemas de purificação de água e Fones de ouvido Wireless

 

E o que você acha que vem por aí no futuro?

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados