Inovação
06/04/2018 3 min

Tempo de leitura

Como a tecnologia vai ajudar a vender mais e melhor em 2018

A inteligência artificial é uma aliada essencial para avanços tecnológicos no varejo

O mercado do varejo no Brasil está passando por um processo de mudanças significativo para conquistar e fidelizar seu público, cada vez mais em disputa. Depois de esbanjar os resultados de uma era de ouro entre 2003 e 2012, os varejistas estão saindo de um período de crise para encontrar um consumidor mais exigente.  Como driblar os novos desafio e progredir? Com tecnologia e inteligência artificial.

O primeiro passo é passar a usar de maneira estratégica os dados de consumo on-line que vêm sendo coletados ao longo dos anos. Com recursos como o Google Analytics, é possível desenhar padrões de comportamento on-line para além do e-commerce.

É o que vem fazendo o Wine.com.br, que passou a direcionar suas ofertas para o consumidor de forma mais pessoal e acessível, dentro de um contexto que condiz com o que vem buscando na internet. Os resultados são incríveis: aumento de conversão de 10%, com destaque para as vendas reincidentes, que indicam uma fidelização do cliente.

O segundo passo é entrelaçar as experiências do usuário on e off-line, tornando essa separação cada vez menos perceptível e a transição cada vez mais fácil. Com uma extensa base de dados e o apoio de um algoritmo complexo, é possível que as lojas atuem de modo omnichannel, ou seja, trabalhando na convergência de todos os canais de atuação.

Um bom exemplo é o Grupo Pão de Açúcar, que encontrou em seus programas de fidelidade uma maneira de otimizar as vendas por meio do uso de inteligência artificial. Por meio da análise dos dados de mais de 13 milhões de clientes, o grupo consegue entender o processo de compra e oferecer descontos de maneira exclusiva. Como? Pelo aplicativo, com ofertas segmentadas que são validadas na loja física.

Os riscos para quem não promover melhores experiências para o consumidor são proporcionais aos benefícios: o uso de inteligência artificial colabora com um diferencial competitivo claro para o consumidor final e para estreitar o relacionamento com o público a longo prazo.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados