Comportamento
05/03/2018 3 min

Tempo de leitura

A culpa é deles

Marcos Piangers

A minha sogra é psicóloga especializada em crianças e de vez em quando em vou até sua biblioteca descobrir algum livro que possa contribuir na educação das minhas filhas. Esses dias achei um livrinho que na abertura tinha um desenho. Eram grupos de pais, professores e crianças, um grupo apontando para o outro e dizendo: “a culpa é deles!”. Pensei: “que desenho atual!”. Mas quando chequei a data do desenho, descobri que era de 1982.

Ou seja: nunca chegaremos em um ponto de satisfação plena com a escola. O aprendizado está em constante adaptação, essa é que é a verdade. E nunca chegaremos na escola ideal, precisamos reconhecer. Escolas são tentativas e, certamente, não será uma escola que vai formar seu filho. Serão seus exemplos. E hoje em dia com tecnologia pra todo lado a nossa tendência é ainda maior em achar que nossos filhos vão aprender com desenhos ou jogos ou vídeos no YouTube. Mas nossos filhos aprendem conosco, e se você não está do lado do seu filho quando ele está na internet, ele pode aprender bobagem.

Quando minha primeira filha nasceu e estava chorando nos meus braços pela primeira vez no hospital, fui até o corredor falar com a enfermeira para que me ajudasse a cuidar do bebê. Ela então me disse: “agora é com você, papai”. Fiquei assustado na hora, mas hoje entendo.

Agora é com você. Não é com a escola, o tablet, o celular, a Pepa Pig, o YouTube ou o Netflix. Não é com a sua sogra ou com os vizinhos que seu filho vai aprender sobre as coisas da vida. Agora é com você. Falar sobre sexo, drogas, consequências do que fazemos, vício em tecnologia, bullying, agora é com você! A gente precisa parar de ter medo e encarar as questões mais desafiadoras relacionadas à criação dos nossos filhos.

Se não for assim, será para sempre como naquele desenho. Apontaremos para todos os lados dizendo, eternamente: “a culpa é deles”.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

16 + 6 =

Artigos relacionados