Segurança
29/01/2018 3 min

Tempo de leitura

É seguro manter dados pessoais no ambiente virtual?

Há mais informação privada na rede do que se imagina, mas medidas simples podem dificultar o acesso inadequado e roubos

Na Netshoes, meio milhão de informações sobre os clientes, como nome, data de nascimento, histórico e valor de compra foram colocadas na web. O Uber revelou ter sido alvo de ataques em 2016, colocando em risco de exposição o registro de 50 milhões de usuários. Na deep web – universo de sites não indexados em mecanismos de busca – é possível encontrar uma lista com 1,4 bilhão de e-mails e senhas de internautas, cortesia dos hackers que compilaram os dados roubados em uma série de vazamentos em só arquivo. Medidas simples podem ampliar a segurança de seus dados privados on-line contra crimes cibernéticos.

A precaução envolve o preenchimento de cadastros e formulários, programas de fidelidade, cartões de crédito, contas bancárias, trocas de e-mails e mensagens e postagens nas redes sociais. Tudo isso deixa um verdadeiro histórico da vida privada do usuário que, se acessado por criminosos, resulta em prejuízos financeiros e até morais. Faça um teste e dê uma busca em seu próprio nome no Google para constatar resultados das mais diversas fontes.

Comece dificultando ao máximo o acesso. De acordo com a ONG SaferNet, a senha escolhida deve ser:

1) Longa: de preferência uma frase com letras, números e símbolos.

2) Complexa: que tenha sentido apenas para você e não seja óbvia.

3) Prática: você precisa se lembrar dela com facilidade.

4) Impessoal: não use aniversário, nome ou informações muito pessoais.

5) Mantida em segredo, nunca compartilhe.

6) Diferente para cada serviço, site ou dispositivo, incluindo celular, tablet, computador e roteador de rede wi-fi.

7) Atualizada a cada 6 ou 3 meses ou logo após usar em local inseguro em caso de extrema necessidade, como redes públicas e gratuitas de wi-fi.

8) Ser complementada pelo recurso “autenticação de dois níveis”, presente no Facebook e no WhatsApp, onde é preciso digitar um código recebido pelo celular para entrar nas contas, mesmo usando a senha.

Para garantir mais segurança adote essas medidas:

1) Transforme em rotina limpar periodicamente seu histórico de navegação.

2) Sempre sair de sua conta quando for finalizar o acesso.

3) Avaliar com atenção downloads.

4) Preferencialmente restringir o acesso nas redes sociais a seus contatos.

5) Só preencha formulários ou cadastros realmente relevantes e crie um e-mail apenas para isso, evitando assim o envio de spam e links maliciosos para seu endereço pessoal ou profissional.

Confira outras dicas eficientes de segurança neste vídeo e nesta cartilha, indicados pela SaferNet.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  • Nelcimar junior kruger says:

    Na web nada tá seguro, sem criptografia, sem leis ou limites, é um lugar nada seguro. Prefiro no papel.

    • Dialogando says:

      Nelcimar, listamos algumas dicas para compartilhar arquivos de forma segura no nosso texto. Nele, falamos um pouquinho sobre criptografia.

Artigos relacionados