Comportamento
07/03/2018 4 min

Tempo de leitura

Empoderamento feminino na revolução tecnológica

Projetos desenvolvidos em todo o mundo promovem a inserção das mulheres na construção da sociedade do futuro

Conhecimento é empoderamento. A palavra que está tão em moda nos dias de hoje para se referir ao respeito e reconhecimento da potencialidade das mulheres em todo o mundo, se traduz em ações concretas também nas novas tecnologias. Dezenas de projetos desenvolvidos pela ONU Mulheres têm o objetivo de assegurar o acesso à capacitação e oportunidades para que a competência feminina esteja presente também nos campos de atuação que miram a sociedade do futuro.

Criada em 2010, a ONU Mulheres está sediada em Nova York e possui escritórios regionais em todo o mundo, incluindo o Brasil. Seu propósito é unir, fortalecer e ampliar os esforços mundiais em defesa dos direitos humanos das mulheres, com foco em seis áreas prioritárias, sendo uma delas o empoderamento econômico. Nesse contexto é que são consideradas as iniciativas de promoção da equidade de gêneros na seara das inovações tecnológicas, como o projeto Gestão Escolar para Equidade: ELAS nas Exatas. A meta aqui é favorecer a inserção das meninas brasileiras nas áreas de ciências tecnológicas e exatas, reconhecendo a escola pública como espaço estratégico e relevante para esta transformação.

Em 2018 foram selecionados 10 projetos das cinco regiões do Brasil entre 113 concorrentes. As atividades incluem capacitações em robótica, programação e desenvolvimento de games e aplicativos, observações astronômicas, aulas e debates sobre a história de mulheres cientistas e oficinas de mídias digitais, entre outros temas. Conheça todas as propostas escolhidas aqui.

“A inserção de meninas nas ciências e tecnologias é um passo fundamental para fechar as brechas de gênero, num campo de conhecimento que precisa se transformar a partir da presença e produção de meninas e mulheres”, destacou Nadine Gusman, representante da ONU Mulheres Brasil, por ocasião da divulgação dos classificados desta edição. “Este é um elemento central pendente na revolução digital que está acontecendo em todo o mundo”, completa.

O papel das empresas também é reconhecido como essencial para o crescimento da economia e desenvolvimento humano. Juntamente com o Pacto Global, a ONU Mulheres criou os Princípios de Empoderamento das Mulheres, um conjunto de diretrizes que auxiliam o setor privado a incorporar em seus negócios valores e práticas que visem à equidade de gênero e empoderamento das mulheres. São preceitos que envolvem a conscientização das lideranças, tratamento justo e sem discriminação de nenhuma ordem, a garantia da saúde e bem estar dos funcionários e o apoio ao empreendedorismo feminino, entre outros. A Vivo é signatária desses princípios desde 2016, em linha com seus valores corporativos.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × três =

Artigos relacionados