Educação
08/11/2018 3 min

Tempo de leitura

Enem reforça importância da reflexão sobre o uso de dados na internet

Proposta de redação discute a manipulação de comportamento por meio de algoritmos

Em um ano em que escândalos como o da Cambridge Analytica, que obteve e utilizou de maneira indevida informações pessoais de mais de 50 milhões de usuários do Facebook, a proposta de redação do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) reforça a importância da atenção e do pensamento crítico ao usar a internet, redes sociais e aplicativos.

Os mais de 4 milhões de participantes do primeiro dia de prova, em 4 de novembro, foram levados a refletir e discutir sobre a influência dos algoritmos nas nossas vidas por meio do tema da redação: “Manipulação do comportamento do usuário pelo controle de dados na internet”.

“O efeito da escolha do tema é colocá-lo em pauta por algumas semanas nas escolas, e em anos futuros quando os alunos forem relembrar os temas anteriores para treinar para a prova. Consigo pensar em poucos temas que mereçam atenção comparável ao escolhido nesse contexto”, afirma João Guilherme Viana, corretor de redação e pesquisador na área da linguagem.

A própria prova traz indicativos da importância de que seu público, majoritariamente jovem, esteja protagonizando essa reflexão: um dos textos motivadores da proposta de redação era um recorte sobre o uso da internet no Brasil que aponta que 85% dos usuários da internet no país têm entre 18 e 24 anos.

“Apesar de ter se afastado um pouco do modelo de propostas que vinham sendo feitas, que costumavam tocar em questões mais ligadas a minorias sociais, ou relativas aos Direitos Humanos, o tema está presente no contexto de muitos desses jovens, e fazê-los refletir sobre como essa tecnologia pode ser usada tanto para facilitar o cotidiano como para manipular seu comportamento é um dos grandes ganhos dessa prova”, comenta Bruna Garcia, professora de redação.

Como é de praxe, uma proposta de intervenção social para o problema apresentado deve fazer parte da redação. Dentre as possíveis soluções, a educação aparece como fundamental: entender como os algoritmos funcionam, que tipo de dados são disponibilizados e como eles serão usados por cada plataforma ao aceitarmos os termos de uso é o primeiro passo para saber onde estão as possibilidades de manipulação.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados