Inovação
12/02/2019 8 min

Tempo de leitura

Quer chegar antes no futuro?

Por Luis Rasquilha*

 

Construir, fortalecer e disseminar uma cultura de inovação é o que fará a diferença entre as empresas que sobreviverão e as que passarão à história. E uma cultura de inovação é composta por 8 variáveis:

  1. Convicção e Mindset

A convicção é base de qualquer posicionamento. Há empresas que acreditam em inovação e há empresas que não acreditam.

Embora o Século XXI esteja sendo impiedoso com quem não inova, ainda há organizações que se apoiam em práticas que funcionaram no passado e pregam abertamente a “importância da tradição”. Já aquelas que reconhecem a importância da inovação, possuem uma forte orientação para processos, cultura e mindset inovador.

O mindset é algo transversal a toda a empresa e seus colaboradores, independentemente de posição hierárquica ou tempo na companhia.

Ainda há organizações que se apoiam em práticas que funcionaram no passado e pregam abertamente a “importância da tradição”. Já aquelas que reconhecem a importância da inovação, possuem uma forte orientação para processos, cultura e mindset inovador.

  1. Agenda “Futuro e Tendências”

Para inovar é necessário olhar para o futuro e para as tendências. O futuro não é uma caixa-preta e vários movimentos são claros e previsíveis. Empresas altamente inovadoras olham para o futuro constantemente e possuem agenda clara nesse sentido com objetivo de manter atualizadas as suas convicções sobre o que está em mudança e pode afetar a sua sobrevivência no mercado.

A agenda é algo que deve ser sempre puxado pela liderança numa clara afirmação de endosso à relevância do tema.

A agenda é algo que deve ser sempre puxado pela liderança numa clara afirmação de endosso à relevância do tema.

  1. Atração e Retenção de Profissionais Inovadores

Empresas inovadoras possuem profissionais inovadores.

Elas conseguem, através da sua cultura e de seus processos de gestão de pessoas, atrair e reter profissionais ambiciosos, inquietos, críticos e com visão inovadora, capazes de mudar o rumo dos acontecimentos, criando, produzindo e implementando verdadeiras transformações nos negócios.

  1. ETI – Equipe Transversal de Inovação

Inovação não pode ser atribuição de um departamento. Empresas altamente inovadoras possuem uma Equipe Transversal de Inovação (ETI), com pessoas de diversas áreas, que coordenam a gestão e o processo de inovação da empresa, fazendo com que todos os níveis hierárquicos possam contribuir com ideias inovadoras.

  1. Processo de Inovação

Inovação é mais transpiração do que inspiração. Claro que precisa gerar ideias, mas elas por si só não significam nada sem a capacidade de as implementar e transformar em algo de valor agregado para a empresa.

É mais processo coletivo do que individual. Portanto organizações inovadoras possuem um processo claro de inovação, que gerencia com agilidade e eficiência todas as etapas de um processo que começa na geração de uma ideia e termina na implementação ou não da mesma. Para isso acontecer de forma estruturada, um processo construído por todos e por todos adotado e seguido é necessário.

  1. Recursos para a Inovação

Não há crescimento sem investimento. Não há inovação sem investimento.

Empresas inovadoras dedicam parte de seus recursos (financeiros, humanos e materiais) para a inovação. Essas empresas sabem que muitas ideias irão para o lixo, mas que uma delas irá compensar todas as perdas e elevar a empresa a um outro patamar. Por isso, investem continuamente em inovação.

Considera-se que uma empresa que queira adotar uma Cultura de Inovação deva alocar um valor mínimo de 5% a 8% do seu orçamento e do seu tempo para a inovação. Mediante a ambição inovadora maior deve ser a locação de recursos.

  1. Ambiente Inovador

Um ambiente inovador é fundamental para que as pessoas se motivem, participem e ajudem a empresa a inovar. Nestas organizações, os ambientes físicos e a cultura promovem a liberdade de expressão, a criatividade e a motivação. Neles, as pessoas são mais autênticas, mais produtivas e mais estimuladas a terem pensamento crítico e colaborativo.

  1. Liderança Inovadora

Por último, e não menos importante, todos os “ingredientes” acima precisam de um “chef” para que o prato final seja ótimo. A liderança em empresas inovadoras é autêntica, forte e competente. Líderes inovadores formam equipes inovadoras, promovem a colaboração, premiam por mérito, cultivam um ambiente pautado pela eficiência e pela busca contínua da melhoria e da superação. Líderes inovadores inspiram, ensinam pelo exemplo e motivam.

Esses são os ingredientes necessários à correta definição e implementação de uma cultura de inovação. E porque é importante uma cultura? Para que possa adotar o processo de inovação, que não é mais do que permanentemente olhar o ambiente envolvente, o futuro (pela lente das tendências) e com isso desenhar a melhor atuação que transforme a empresa em todos os seus níveis hierárquicos em uma empresa inovadora.

* Luis Rasquilha: CEO da Inova Consulting e da Inova Business School. Professor da FIA e da Fundação Dom Cabral. Colunista da Rádio CBN e membro conselheiro do G100 Brasil. Um dos 50 profissionais que todo o mundo deve seguir, segundo a Gama Academy.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados