Inovação
08/12/2017 3 min

Tempo de leitura

Finanças em ordem garantem tranquilidade para começar o ano

Tecnologia ajuda a evitar rombo no orçamento com os custos tradicionais de janeiro

Janeiro é o mês das contas. Além das despesas extras com as festas do final do ano, chegam os impostos e gastos com material e mensalidade escolar para se somarem aos custos de rotina. O jeito é se organizar e monitorar receitas e gastos. Com a ajuda da tecnologia, fica bem mais simples.

Há uma série de aplicativos financeiros para diferentes perfis, todos com recursos para facilitar o dia a dia e acabar com o aborrecimento dos controles manuais ou planilhas.

No GuiaBolso (Android e IOS), o diferencial é a opção de conexão com sua conta bancária, o que garante informações sempre atualizadas de saldos e transações. Também monitora o CPF para detectar eventuais pendências.

Com o Grana (Android), você registra pagamentos recorrentes de forma automática e pode separar os valores por categoria, como casa, alimentação, lazer, viagem, etc.

O Minhas Economias (Android e IOS) auxilia a poupar de forma disciplinada para a realização daquele sonho tão aguardado, a partir de um valor pré-estabelecido.

Mas para aproveitar todas essas ferramentas é necessário uma mudança comportamental, como explica a educadora financeira Janina Jacinto. “Os aplicativos são úteis, garantem agilidade, fornecem resultados em tempo real e fazem alertas, mas não impedirão que o usuário gaste com coisas supérfluas sem perceber ou use crédito fácil com juros escorchantes, o que não contribui para a utilização inteligente do dinheiro”, afirma.

Janina ressalta a importância do foco e determinação para alcançar os objetivos. “É preciso identificar qual é de fato a realidade financeira, com um diagnóstico preciso das entradas e saídas, mesmo as mais insignificantes, para poder se planejar corretamente”, diz. “A pessoa com educação em finanças dificilmente passará por apertos, pois tem a postura de economizar regularmente, conseguindo atingir assim sua independência e um padrão de vida condizente e sustentável”, afirma.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados