Inovação
23/01/2019 4 min

Tempo de leitura

Inteligência artificial mais humana

Centros de treinamentos deixam robôs mais eficientes, ágeis e cordiais

A tecnologia e suas inovações têm dominado o mundo e já tem algum tempo que estamos ouvindo falar da tal inteligência artificial, mas quem está por trás de toda essa modernidade? Fala-se muito em inteligência artificial, mas apesar de todo o avanço da ciência, é a inteligência humana que se mantém imprescindível para desenvolver qualquer projeto tecnológico, inclusive ensinar as máquinas.

Muita gente teme que a tecnologia substitua 100% o homem em várias funções, mas é preciso lembrar que as máquinas ainda precisam de professores e só com eles é possível a inovação tecnológica. Pode-se dizer até que a relação homens x máquinas acaba sendo uma troca de aprendizado. Atrás da inteligência artificial está as mãos de grandes programadores. Para que a IA realmente funcione e pense, é necessário que seja treinada e alimentada com um enorme banco de dados.

A inteligência artificial pode, por exemplo, escrever um código sozinha, porém ela não tem a capacidade de garantir que esteja correto. Essa é a troca entre homem e máquina: o homem prepara a máquina com códigos e comandos exatos para ter eficiência em seus projetos e a IA aprende e acelera as ações para facilitar a vida dos humanos, como por exemplo, os robôs que já atendem milhares de pessoas em centrais de grandes empresas.

Quem ainda não se deparou com assistentes virtuais de grandes lojas ajudando a comprar produtos, fazer trocas, resolver problemas, com rapidez, eficiência e cordialidade. Esse é o resultado das aulas dos homens, que treinam robôs para aliarem características técnicas a humanas. Apenas com a mente humana é possível solucionar problemas das mudanças impactantes das inovações tecnológicas.

Em tempos de busca pela excelência em atendimento ao consumidor, a inteligência artificial tem sido a aliada perfeita no desafio de responder aos questionamentos do cliente com mais assertividade. Para quem curte programação, vale investir na área que está em plena ascensão e aproveitar as milhares de oportunidades que têm surgido. Empresas, como a Vivo, tem buscado melhorar a comunicação feita pela inteligência artificial, nesse caso a Aura, e investido em centros de treinamento de bots. Na operadora, a equipe da nova central é formada por atendentes do call center que receberam as maiores notas no atendimento ao cliente. Eles foram escolhidos para a missão de treinar a Aura a se comportar cada vez mais como um humano e ser eficiente e cordial.

A tecnologia – inteligência artificial – está para o homem, como está o corretor de textos para escritores. Facilitam o trabalho, mas não substituem a inteligência humana. É uma troca para garantir excelência e agilidade no processo de trabalho. Os dois se completam: homens com a capacidade mental e máquinas com as programações voltadas especialmente para facilitar o cotidiano.

Já está comprovado que máquinas, computadores, robôs e a inteligência artificial vão substituir os humanos em muitas funções e assim, muitas das tradicionais carreiras deixarão de existir, no entanto darão espaço para novas carreiras que ainda precisarão da mente humana por trás de qualquer máquina.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados