Comportamento
03/07/2018 3 min

Tempo de leitura

Somos todos gamers

Pesquisa destaca perfil e hábitos dos jogadores brasileiros, revelando faixas etárias mais altas e maior participação feminina

Jogos on-line são coisa de garotos adolescentes, certo? Não exatamente, pelo menos aqui no Brasil. A Pesquisa Game Brasil 2018, realizada pelo Sioux Group, Blend New Research, ESPM e Go Gamers, mostra que, diferente do que muitos imaginam, a maioria dos gamers tem entre 25 a 34 anos de idade (35,2%) e 35 a 54 anos (32,7%), com apenas 26% entre 16 a 24 anos e 1,8% abaixo de 15 anos. E mais: pelo terceiro ano consecutivo, as mulheres são maioria nesse universo, compondo 58,9% dos praticantes. Foram entrevistados 2.853 respondentes em todo o país e de todas as classes sociais.

As plataformas mais utilizadas são o celular (84,3%), console (46%) e o computador (44,6%). A frequência de jogo ficou bem distribuída, com 26,9% jogando todos os dias, 25,5% de três a seis dias na semana, 26,2% pelo menos uma vez na semana e 15,7% menos de uma vez por semana. As sessões levam em média uma hora para 34,2% dos entrevistados. 65,8% afirmaram que os jogos eletrônicos estão entre as suas principais formas de diversão e 45,3%, que são de fato sua principal forma de diversão hoje, corroborado por 49,2% dos homens e 41,8% das mulheres.

Ainda assim, ninguém quer colocar a mão no bolso. 70% dos brasileiros baixam apenas jogos on-line grátisem seus celulares, enquanto 9,5% às vezes pagam por um jogo e somente 2,4% costumam pagar sempre por jogos. Os motivos alegados são que sempre existem outras opções gratuitas para esses os jogos pagos (40,3%), que os valores dos jogos pagos são caros (34,8%), ou que eles correm o risco de não gostar do jogo, mas já pagaram (35,9%). 75,5% dos participantes disseram aceitam baixar jogos gratuitos com anúncios, embora 82,9% concorde que atrapalha o momento de lazer e prefeririam que fossem em outros formatos.

Outro estudo global recente da Newzoo detalhou os tipos de games preferidos por cada gênero. Considerando todas as plataformas, os homens optam mais por jogos de estratégia, esportes, ação e aventura e tiros, enquanto as mulheres escolhem uma gama maior de categorias, englobando quebra-cabeças, simulações e os chamados arcades – jogos inspirados no clima retrô dos antigos fliperamas e casas de jogos, clássicos ou em estilo vintage. Curiosamente, os jogos apontados por ambos os gêneros como prediletos foram os mesmos no recorte por plataformas: Candy Crush Sagano celular, Call of Dutyno console e World of Warcraftno PC.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados