Educação
29/06/2018 3 min

Tempo de leitura

Tecnologia na educação: avanços para construir hoje o cidadão de amanhã?

Inovações adaptadas ao modo de aprendizado de novas gerações ajudam a ampliar o acesso à educação e viabilizam métodos mais efetivos

“Quando usada da forma correta, a tecnologia pode ajudar a superar um dos maiores desafios atuais da sociedade: democratizar as oportunidades de acesso a educação”.  A declaração do CEO da Microsoft, Satya Nadella, resume a relevância do poder transformador da revolução digital para o aprendizado. Com autoridade de quem está à frente de uma das mais emblemáticas e visionárias empresas do setor, o executivo compartilha a visão de boa parte dos líderes desta indústria: mais do que apenas equipamentos e ferramentas interativas, os avanços tecnológicos ampliam as possibilidades de inclusão digital e proporcionam aos estudantes de hoje as condições para desenvolver habilidades essenciais para a construção de um mundo melhor amanhã, como o pensamento criativo e a capacidade colaborativa.

Pesquisa do Cetic.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação) com profissionais e alunos de 1.106 escolas brasileiras mapeou os benefícios que já podem ser percebidos com o uso da tecnologia em atividades pedagógicas, revelando pelo menos oito motivos fundamentais para levar tecnologia às salas de aula:

Recursos mais atrativos e efetivos para despertar e manter a atenção – 94% dos entrevistados afirmam que passou a ter acesso a materiais mais diversificados ou de melhor qualidade.

 

Inovação pedagógica – 85% passaram a adotar novos métodos de ensino.

 

Maior produtividade – 82% passaram a cumprir suas tarefas administrativas com maior facilidade.

 

Valorização do trabalho colaborativo para melhores resultados – 79% passaram a colaborar mais com outros colegas da escola.

 

Maior interação e articulação – 77% passaram a se comunicar com os alunos com maior facilidade.

 

Aprendizagem adaptativa – 75% passaram a fazer avaliações mais individualizadas dos alunos, em linha com a metodologia que defende um conteúdo personalizado de acordo com as necessidades de cada estudante.

 

Melhores práticas – 67% passaram a ter contato com professores e com especialistas de outras escolas, fomentando a troca de experiências, conhecimento e benchmarking.

 

Maior eficiência – 55% passaram a ter menos trabalho com a ajuda de recursos tecnológicos.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados