Educação
11/06/2018 4 min

Tempo de leitura

Tecnologia na sala de aula: atenção no lugar da distração

Vistos muitas vezes como vilões da falta de concentração nas escolas, dispositivos e redes sociais podem ser ótimos aliados para incrementar o aprendizado

Com a popularização dos celulares e da internet móvel, muitas escolas restringiram o uso desses e outros dispositivos em sala de aula. O intuito era manter o foco dos estudantes no conteúdo ministrado e evitar dispersão. Mas experiências bem-sucedidas mostram que, se usada com responsabilidade e direcionamento, a tecnologia pode auxiliar no desafio de captar a atenção e motivar a nova geração conectada.

Pesquisa realizada com 1.500 participantes entre professores, alunos, especialistas e outros profissionais ligados à educação em todo o mundo, revelou que 76% acreditam que o uso de vídeos no ensino aumenta o nível de retenção do conteúdo e 88%, que melhora patamares de desempenho. Não por acaso o YouTube criou uma página dedicada apenas a conteúdos gratuitos relacionados ao ensino, o YouTube EDU, onde os educadores podem também fazer upload de seus arquivos, ajudando a enriquecer o acervo de forma colaborativa.

Projeto-piloto conduzido em uma escola do Oregon, nos Estados Unidos, com a utilização de redes sociais, chegou a resultados expressivos, com notas 50% maiores e redução de um terço no absenteísmo.  O melhor é que não é preciso se desviar do conteúdo programático para inserir as mídias online no dia a dia dos estudantes. Confira algumas ideias criativas dos especialistas.*

No Facebook – crie uma página da instituição com postagens úteis sobre a rotina escolar, novidades e deveres de casa. A partir daí, promova ações para reforçar determinados tópicos como, por exemplo, a elaboração de páginas fictícias de figuras históricas, com as informações sobre os fatos e contexto em que viveu.

No Twitter – peça aos alunos que enviem tuítes aos professores contando o que aprenderam naquele dia, em apenas 140 caracteres ou menos. Organize debates da classe pelo Twitter. Estudos mostram que o engajamento mais que dobra quando os alunos usam esse canal para contribuir com as discussões ou completar lições.

Blogger – crie um blog – que pode ser restrito a alunos, pais e professores – e publique ali semanalmente as redações ou tarefas mais interessantes como uma espécie de prêmio pelo trabalho árduo. Isso pode estimular uma competição saudável entre as classes para ver quem consegue publicar o melhor trabalho.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados