Segurança
23/10/2018 4 min

Tempo de leitura

Terceira idade: como navegar com segurança

Veja dicas de como garantir uma navegação sem cair em golpes ou baixar vírus, os maiores medos desses internautas

Os idosos têm acessado mais a internet para ler notícias, fazer compras on-line e operações bancárias ou contatar pessoas queridas, mas boa parte deles se preocupa com a segurança nas redes – e, infelizmente, nem sempre dispõem dos conhecimentos necessários para se proteger.

Uma pesquisa feita pelo Google mostra que os maiores medos dos idosos são fazer download de vírus, cair em golpes e acessar informações falsas. Para a maior parte, a preocupação com a segurança on-line esteve presente por pelo menos uma vez ao longo do último ano.

“O público idoso cada vez mais acessa a internet, mas, embora conte com muitas oportunidades, é muito negligenciado em diversos aspectos. Geralmente nos preocupamos com crianças e adolescentes na rede, mas poucas iniciativas atentam para a vulnerabilidade do idoso”, aponta Rodrigo Nejm, diretor de prevenção e atendimento da SaferNet.

Conforme lembra Nejm, uma parcela considerável dos idosos que hoje desfrutam das tecnologias digitais não teve a oportunidade de aprender boas práticas de uso em nenhuma esfera de sua vida. O problema fica ainda mais grave quando se constata que os idosos desempenham papel significativo na educação dos netos. “Por isso, eles são figuras estratégicas para pensarmos na proteção on-line de crianças e adolescentes”, afirma Nejm. Os resultados da pesquisa do Google confirmam a necessidade de ações de educação para a cidadania digital especificamente voltadas à terceira idade.

 

Veja dicas para a segurança digital de idosos:

 

  • Crie senhas fortes, com número, senha e caracteres especiais. “Como alguns idosos podem ter dificuldades de memória, aconselhamos que a senha criada possa sofrer pequenas variações, mantendo-se a mesma base, para uso em diferentes dispositivos.”
  • Habilite a função de dupla autenticação em redes sociais e servidores de e-mail. “Existe a opção de cadastrar número de celular para que, toda vez que for feito um login diferente na conta, o programa mande uma segunda senha por celular.”
  • Ao utilizar computador ou dispositivo compartilhado, não use a opção de manter-se conectado a redes sociais. Opte sempre por fazer o login novamente e faça logoff ao fim da navegação.
  • Desconfie de e-mails ou mensagens que solicitem atualização de cadastro, supostamente enviados por lojas, bancos ou mesmo órgãos oficiais. “Órgãos governamentais, bancos e empresas de telefonia não fazem esses pedidos. Havendo dúvida, prefira telefonar para a instituição para confirmar a veracidade da mensagem.”
  • Ao acessar sua conta bancária pela internet, não digite o endereço do banco colocando o nome seguido por .com.br. Prefira usar a opção nomedobanco.b.br. “Apenas bancos cadastrados no Banco Central podem usar .b.br no endereço. Assim, evita-se acessar um site clonado.”
  • Periodicamente, faça atualização em seu antivírus e troque suas senhas.
VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados