Inovação
23/08/2019 8 min

Tempo de leitura

Como a tecnologia pode ajudar no tratamento da FoMO – Fear of Missing Out!

A FoMo, ou Fear of Missing Out, é um problema relativamente novo na sociedade, mas que pode ser tratado com a ajuda da tecnologia. Confira!

Você já parou para pensar em quantas vezes por dia checa o celular, conferindo as redes sociais e sites de notícias? O “medo de ficar por fora” do que está acontecendo no mundo – principalmente na internet, ganhou um nome: FoMO, sigla em inglês para o termo “Fear of Missing Out”. O fenômeno não é uma surpresa de acordo com o cenário em que vivemos hoje: um estudo do We Are Social em parceria com Hootsuite mostrou que 149.1 milhões de brasileiros estão conectados à internet e 93% desses usuários são ativos em pelo menos alguma rede social.

Conversamos com Jucineide Xavier, psicóloga, mestranda em Distúrbios do Desenvolvimento pela Universidade Presbiteriana Mackenzie para falar sobre a síndrome que atinge milhares de pessoas todos os dias.

 O que é Fear of Missing Out ou FoMO ?

O termo criado por Patrick J. McGinnis em um artigo na revista “The Harbus”, da Harvard Business School, ganhou força total 15 anos após sua criação em 2004. A sensação de estar perdendo “algo” ao ficar longe da internet e, principalmente, das redes sociais, pode ser mais sério do que as pessoas imaginam.

Xavier explica que, em tempos de superexposição nas redes sociais, as pessoas querem sustentar uma imagem que não necessariamente condiz com a realidade. “A rede social, na verdade, é a vida que as pessoas querem ter. Mas quando as pessoas voltam para a ‘vida real’, as dificuldades podem retornar. Então, a internet e as redes sociais têm esse benefício, de servir como entretenimento e distração”, afirma, mas faz o alerta: “O problema é quando, sem perceber, as pessoas começam a viver mais ‘online’ do que ‘offline’”.

Quais são os sintomas da FoMO?

Primeiro, a síndrome é um indicativo de que alguém está viciado em redes sociais, o que pode gerar ansiedade, angústia, mudanças de humor e, em casos mais graves, depressão. O desejo de estar conectado e não perder nada do que acontece com o mundo – até mesmo no círculo de amizades — é o que desperta esse tipo de angústia social nos usuários.

Deixar de sair com os amigos e família, checar as redes sociais várias vezes ao dia e ter dificuldade para se desconectar são alguns dos principais sinais de que alguém pode estar sofrendo com FoMO. Identificar esses sintomas é só o primeiro passo na busca de um tratamento para fazer o uso mais saudável da tecnologia.

A psicóloga recomenda que, caso a pessoa identifique esses sintomas em si, é melhor procurar ajuda profissional. “Além de tentar reduzir a presença online nas redes sociais, é importante buscar ajuda psicológica e fazer um tratamento para controlar o uso não saudável da tecnologia”.

Como amenizar a dependência em redes sociais?

Xavier comenta que, após o diagnóstico, é preciso moderar o uso das redes, não sendo necessário restringir totalmente sua utilização. “A partir do momento que o usuário e o profissional descobrem o motivo dessa ansiedade, nós recomendamos mais atividades fora das redes, como praticar esportes, ler livros, sair com os amigos, entre outras atividades que exigem o foco da pessoa”.

Definir metas também é uma boa opção para estimular o bom uso da internet e das redes sociais. Xavier reforça: “Desligar as notificações das redes sociais, estipular um tempo diário para ficar conectado e focar em outras coisas ao longo do dia. Para a diminuição da ansiedade, também é importante trabalhar com a respiração e meditação”, finaliza.

Batemos um papo com a influenciadora digital Ariane Freitas (@lovemaltine) e Camila Fabre, psicoterapeuta e sócia-fundadora na TRID – Consultoria de Orientação Profissional e de Carreira, especializada em Psicologia Integrativa Transpessoal pela Alubrat, e Aprimoramento em Orientação Profissional e de Carreira pela Universidade de São Paulo (USP). Ouça agora no Spotify ou clicando abaixo!

Além de procurar orientação psicológica, existem pequenas ações que podem impactar o dia a dia positivamente. Procurar aplicativos para o controle do uso do smartphone também pode ser uma boa alternativa para fazer um uso saudável da tecnologia. Por isso listamos três aplicativos para manter o controle sobre o tempo que você passa conectado, confira!

Space

Criado para ajudar o usuário a manter no uso do smartphone, o app registra quantas vezes ao dia você desbloqueia o aparelho e estabelece metas diárias para o tempo off-line. Disponível gratuitamente para Android e iOS.

Forest

Com uma proposta diferente, o app estabelece um desafio diário: você precisa plantar uma árvore virtual, mas para ela crescer, é necessário ficar sem usar o smartphone por 30 minutos. Se você não aguardar o tempo mínimo e desbloquear o aparelho, a planta irá murchar e você precisará recomeçar o desafio. Disponível gratuitamente para Android e iOS.

Quality Time

Desenvolvido para medir o tempo que você passa conectado com seu smartphone, o app permite que você monitore e receba relatórios em tempo real sobre o tempo gasto com as redes sociais e outros aplicativos. Disponível gratuitamente para Android.

As redes sociais nos oferecem muito conteúdo e, por isso, é preciso interagir de maneira consciente com o volume enorme de informações que recebemos! Lembrando que fazer uso saudável da tecnologia em geral é, além de necessário, importante para equilibrar as atividades cotidianas dentro e fora do ambiente digital.

E você, tá sempre ligado no que acontece na internet? Conta pra gente nos comentários! (:

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Artigos relacionados