Inovação
08/11/2016 2 min de leitura

Tempo de leitura

A quarta revolução industrial e o futuro dos empregos

A Quarta Revolução Industrial definirá o futuro dos empregos. Isso inclui desenvolvimentos em domínios anteriormente desconexos, como a inteligência artificial e de aprendizagem de máquina, robótica, nanotecnologia, impressão 3-D, genética e biotecnologia. Estes desenvolvimentos vão transformar a maneira como vivemos, e a forma como trabalhamos. Alguns trabalhos vão desaparecer, outros vão crescer e empregos que…

A Quarta Revolução Industrial definirá o futuro dos empregos. Isso inclui desenvolvimentos em domínios anteriormente desconexos, como a inteligência artificial e de aprendizagem de máquina, robótica, nanotecnologia, impressão 3-D, genética e biotecnologia. Estes desenvolvimentos vão transformar a maneira como vivemos, e a forma como trabalhamos. Alguns trabalhos vão desaparecer, outros vão crescer e empregos que nem sequer existem hoje se tornarão comuns. O que é certo é que para se dar bem no mercado de trabalho você precisará se adaptar às habilidades necessárias. Esta é a conclusão de um novo relatório, The Future of Jobs, publicado no início do ano pelo World Economic Forum.

O relatório reuniu os setores de recursos humanos, chefes e oficiais de estratégia dos principais empregadores globais e revela que apenas 53% dos diretores de recursos humanos pesquisados são razoavelmente ou muito confiantes sobre a adequação da futura estratégia na força de trabalho da sua organização para se preparar para essas mudanças. Já num contexto pessoal, a adaptabilidade e a aprendizagem constante ganham força. Entretanto, esforços constantes podem não produzir a requalificação desejada no mercado de trabalho se você não estiver ciente das mudanças nas habilidades.

Quais mudanças? O relatório ainda inclui uma lista de habilidades que você precisa para prosperar na Quarta Revolução Industrial:

info_quarta

Com a avalanche de novos produtos, novas tecnologias e novas formas de trabalho, a criatividade vai se tornar uma das três principais habilidades que os trabalhadores irão precisar. Contando, é claro, com o fato de que os robôs podem nos ajudar a chegar mais rápido onde queremos, mas eles não são tão criativos como nós seres humanos (ainda).

Negociação e flexibilidade se encontram no topo da lista de habilidades para 2015, mas em 2020 essas características vão começar a cair com máquinas utilizando massas de dados para tomar decisões nos nossos lugares. O próprio levantamento feito pelo Conselho da Agenda Global do Fórum Econômico Mundial sobre o Futuro do Software e Sociedade revela: as pessoas esperam máquinas de inteligência artificial fazendo parte do conselho de administração de uma empresa até 2026.

A inteligência emocional, que não aparece no top 10 hoje, vai se tornar uma das principais habilidades necessárias por todos. Na indústria, a mídia global e de entretenimento, por exemplo, já tem visto uma grande mudança nos últimos cinco anos.

A internet móvel e a tecnologia de nuvem já estão afetando a forma como trabalhamos. Já a inteligência artificial, a impressão 3D e materiais avançados ainda estão em seus estágios iniciais de uso.

Aqueles que trabalham em vendas e produção no setor de serviços financeiros e de investimento terão novas habilidades, como a alfabetização tecnológica.

A mudança não vai esperar por nós: os líderes empresariais, educadores e governos, todos precisam ser proativos na melhoria das qualificações e as pessoas de reciclagem para que todos possam se beneficiar da IV Revolução Industrial.

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 Comentários

Artigos relacionados