competência digital de professores competência digital de professores

Competências digitais de professores: por que são fundamentais para educar no século XXI

Competências digitais de professores: por que são fundamentais para educar no século XXI

Os educadores que nos leem agora sabem das dificuldades que tiveram que enfrentar em 2020 quando a lousa e o giz, de repente, ganharam formatos digitais. Os sofás de suas casas deixaram de acomodar seus cônjuges e filhos, porque a sala de estar de muito docente teve que virar sala de aula. Situação menos dramática que a do professor da imagem abaixo, viralizada nas redes no auge da pandemia.

Sem recursos, o profissional precisou frequentar uma lan house para conseguir lecionar todos os dias. Essa e outras imagens se tornaram um símbolo do comprometimento de milhares de professores que foram obrigados a “se virar nos 30”.

#PraTodosVerem: fotografia colorida, ao centro da imagem um professor, em uma lan house, lecionando, sentado em uma cadeira de frente para uma mesa com um computador em uma chamada de vídeo com um grupo de alunos. Ele está segurando alguns papéis e usando fone de ouvido. Em um dos lados da imagem uma prateleira com vários objetos e na outra, outra mesa com um computador. Ambos os computadores estão ligados a uma fonte de energia que está sobre a parede. Reprodução: Twitter

Eis então que, no improviso, era dada a largada ao movimento da digitalização no setor educacional anunciada há anos, cenário que trouxe à tona a necessidade urgente da capacitação digital de docentes de muitas partes do mundo.

As competências digitais na educação

#PraTodosVerem: retrato das mãos de uma professora segurando um tablet preto com a mão direita, enquanto a outra mão está tocando a tela que exibe dados em amarelo e um texto. O fundo está desfocado e mostra estudantes sentados em uma sala de aula, com os braço levantados, olhando para a professora.

De acordo com a Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), a competência digital é uma das oito habilidades essenciais para o desenvolvimento ao longo da vida.

É considerada necessária para a comunicação, os relacionamentos, a vivência cultural e o desenvolvimento de atividades produtivas na sociedade.

Na educação, tornou-se uma exigência da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), documento que estabelece as aprendizagens essenciais para a formação dos alunos e atua como balizador da qualidade da educação básica no Brasil. Por esse motivo, é também essencial para o exercício da profissão dos educadores.

(Saiba mais sobre a BNCC no post!)

Lilian Bacich, coordenadora do curso de pós-graduação em Metodologias Ativas do Instituto Singularidades explica melhor:

“Quando a gente fala em cultura digital na BNCC, falamos não só da técnica e do uso dos recursos, mas também das possibilidades do docente criar experiências de aprendizagem em que o aluno possa se desenvolver. Além de permitir que ele faça uma escolha ética daquilo que vai consumir e que possa se comunicar utilizando os recursos digitais de forma saudável”.

Benefícios das competências digitais para educadores

#PraTodosVerem: fotografia colorida, que mostra, de frente, umaprofessora em uma sala de aula apoiada em uma mesa branca  com artigos de papelaria atrás dela, sobre a mesa. Sua mão direita segura um tablet enquanto a mão direita desliza a tela do dispositivo. Ela está vestindo uma regata verde por cima de uma camiseta manga longa branca, no pescoço, um cordão de chaves. O fundo da imagem é bem iluminado com a claridade que entra por duas janelas. Na lateral esquerda há uma porta azul.

Para além do uso da tecnologia, o desenvolvimento de competências digitais considera o desenvolvimento profissional e pessoal e a inovação nas práticas pedagógicas com ganhos diretamente ligados ao:

a) Desenvolvimento profissional: porque permite ao professor usar as TDICs (Tecnologias Digitais da Informação e Comunicação) em atividades de formação continuada e no desenvolvimento de atividades profissionais. Também torna o profissional capaz de usar a tecnologia para promover a troca entre pares, além da habilidade de avaliar e implementar novas ações para melhoria de suas práticas.

b) Desenvolvimento pessoal: porque aborda o uso responsável das tecnologias e também reflete sobre a capacidade de fazer e compartilhar o uso ético e responsável das inovações. Esse aspecto está muito ligado aos valores, já que habilita o professor a selecionar recursos, analisar e selecionar fontes confiáveis, ajudando alunos a desenvolverem as mesmas habilidades para que possam praticar a cidadania responsável.

c) Prática pedagógica: porque traz a reflexão sobre como incorporar tecnologia às experiências de aprendizagem dos alunos e às estratégias de ensino e mostra como utilizar a tecnologia para criar experiências de aprendizagem que atendam às necessidades de cada estudante.

Quais são essas competências, afinal?

As tecnologias digitais da informação e comunicação apoiam os professores na implementação de metodologias de ensino ativas, melhorando o interesse e engajamento dos alunos. Neste sentido, foram inseridas nas práticas docentes para promover aprendizagens mais significativas.

Mas Lilian considera que o desenvolvimento das competências digitais de professores vai além de saber dominar e usar os recursos digitais como meio ou suporte para as aulas.

 “O desenvolvimento das competências digitais não está ligado diretamente à quantidade de tecnologias que o docente domina. O uso de recurso digital só faz sentido se estiver conectado a outras habilidades. Considero mais importante a habilidade de saber o que faz sentido ser utilizado pedagogicamente, para que o aluno se desenvolva de maneira integral”, ratifica.

(Conheça 7 ferramentas para facilitar a rotina de educadores!)

Desafios

#PraTodosVerem: fotografia da vista traseira de um laboratório de informática, com estudantes sentados na frente de monitores ligados. No fundo da imagem, um professor, em pé, posicionado em direção dos alunos que veste uma camisa cinza.

Quando professores precisam ir a uma lan house para lecionar, isto sugere que o mundo ainda precisa vencer muitos desafios. No Brasil, um deles diz respeito à formação digital dos próprios educadores, que muitas vezes não consideram meios computadorizados viáveis porque lhes faltam os conhecimentos básicos em computação.

Esse gargalo vem sendo resolvido por algumas instituições de ensino por meio do incentivo e da capacitação, mas, no todo, ainda há um longo caminho pela frente.

Uma vitória (suada!) no Congresso Nacional, em junho do ano passado, foi a promulgação da lei que garante internet gratuita a alunos e professores carentes da rede pública de ensino, com o repasse de R$ 3,5 bilhões para ações que promovam a conectividade.

Mas, segundo Lilian, esse é só um começo. A especialista acredita que parte da evolução digital no setor ainda requer “o investimento maciço em tecnologia dentro das escolas” e um processo que dependerá de bastante empatia.

“O principal é ouvir os professores, conhecendo seus medos, desafios e incentivando a formação continuada”, finaliza.

Fonte: Dialogando - Competências digitais de professores: por que são fundamentais para educar no século XXI (2022)

Deixe uma resposta

O campo mensagem deve conter pelo menos 3 caracteres
Competências digitais de professores: por que são fundamentais para educar no século XXI 2022-03-31 21:13:01
Newsletter

Receba nossas notícias e fique por dentro de tudo ;)