Inovação
23/05/2019 6 min

Tempo de leitura

Como usar patinetes elétricos e bicicletas de aplicativos com segurança

O patinete elétrico e as bikes para alugar em aplicativos estão em alta nos últimos tempos. Porém, é preciso usá-los com segurança para evitar qualquer imprevisto nas ruas. Confira!

A mobilidade urbana ganhou nova cara com a inserção de meios de transportes alternativos alugáveis. Desde 2018, as marcas Yellow, Scoo e Grin disponibilizaram pelas ruas de algumas cidades do Brasil várias bicicletas e patinetes elétricos. O jeito de alugar é bem simples: com o uso de um aplicativo, você destrava o que for usar e paga pelo tempo que passa andando por aí.

Essa facilidade toda é uma ótima ideia! Mas, ao mesmo tempo, vários curiosos querem testar a novidade e acabam se esquecendo de fazer isso de um jeito seguro. O Dialogando, então, resolveu ajudar você a aproveitar toda essa modernidade sem se esquecer de proteger a si mesmo e aos outros!

Para ajudar nessa conversa, chamamos Aline Cavalcante, do projeto Ciclocidade, para esclarecer algumas dúvidas e explicar a melhor maneira possível de usar esses modais.

O que diz o Código de Trânsito?

“As normas de segurança para ciclistas hoje envolvem apenas a sinalização e refletivos. Existe também uma orientação para o uso de espelhos retrovisores, mas nem sempre ele ajuda como parece”, diz Aline. Nem os itens de segurança clássicos, como capacete, cotoveleiras e joelheiras, são recomendados explicitamente. O Código de Trânsito Brasileiro ainda não tem leis específicas para patinetes. As bicicletas, no entanto, já possuem algumas normas de circulação.”

“O que faz do trânsito um lugar potencialmente inseguro é a violência de algumas pessoas. Muitos sofrem fraturas graves usando capacetes porque ele não é o suficiente para acidentes mais truculentos”, alerta Aline. Para ela, é preciso trabalhar para criar uma estrutura viária segura pra todo mundo, com conscientização sobre os deveres de cada motorista para que todos se respeitem.

Os tais patinetes elétricos são um fenômeno de centros urbanos, disponíveis em partes mais planas ou com ciclovias. E para a especialista, é um bom começo para que a população aprenda mais sobre outros meios de transporte: “O exercício do compartilhamento é importante para os cidadãos, é bom aprender a compartilhar tudo o que é público!”. Ela espera que exista uma popularização maior dos modais alugáveis, e afirma que é preciso conscientizar: “Precisamos agora de um trabalho para ensinar os usuários a não competirem com os pedestres pelas calçadas”.

São Paulo é a primeira cidade a implementar normas de uso dos patinetes. São elas:

  • Proibição do uso patinetes em calçadas
  • A circulação permitida apenas em ciclovias, ciclofaixas e vias em que os limites de velocidade sejam inferiores a 40 km/h
  • O uso de capacete obrigatório – e empresas deverão fornecê-los aos usuários
  • Patinetes não deverão ser usados por mais de uma pessoa por vez e também é proibido o transporte de cargas e animais
  • A velocidade máxima dos patinetes é sempre de 20 km/h

As regras ainda não são as mesmas para todos os lugares, mas é sempre bom andar protegido, né? Confira abaixo mais algumas dicas!

 

Caso queira saber ainda mais sobre os patinetes elétricos e as bicicletas para alugar em apps, os sites da Yellow e da Grin dão mais dicas e detalhes sobre o uso de seus produtos com a máxima segurança.

A facilidade de usar os aplicativos para transporte público, transporte particular e de aluguéis, com certeza é, definitivamente algo que veio para mudar o jeito que andamos por aí. E isso é incrível! Mas, lembre-se: cuidar de si mesmo e dos outros cidadãos é a maneira mais inteligente de usufruir dos patinetes elétricos e das bicicletas!

 

 

VOLTAR

Gostou da notícia? Esse artigo te fez pensar diferente?

Curta quantas vezes quiser e mostre o quão relevante foi esse conteúdo pra você!

Conta pra gente o que você achou e comece uma conversa!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

2 Comentários

  • Marcos says:

    Sou ciclista, moro em SP, pedalo em SP , tanto no centro urbano como em rodovias. O que tenho visto, são bastante Patinetes-Elétricos, então já não são considerados veículos de tração humana. É motorizado, não existe força humana na locomoção. E é raro ver alguém com capacete, e também quando utilizam as ciclovias/ciclofaixas, muitos andam pela contramão para ultrapassar os ciclistas em velocidade acima do permitido. Ninguém considera dialogar com ciclistas, quando o assunto é inserir novos meios de locomoção nas ciclovias/ciclofaixas. Ninguém parece analisa os riscos. Digo riscos, por conta de não existir o bom senso e educação, ao compartilharem o mesmo espaço. É preciso dialogar com quem realmente utiliza os espaços.

    • Dialogando says:

      Oi, Marcos! É importante reforçar a importância do uso do equipamento de segurança para todos os tipos de usuários. Obrigado pelo seu comentário! 🙂

Artigos relacionados