golpes na internet golpes na internet

Golpes na internet: 5 dicas para não cair em fraudes no e-commerce

Golpes na internet: 5 dicas para não cair em fraudes no e-commerce

Até quem gosta de aproveitar um belo dia de sol para fazer compras no comércio de rua já se habituou ao e-commerce. Até porque, em 2020, muitos produtos teriam faltado em milhares de residências brasileiras se o consumidor não tivesse aderido à compra virtual — que, na verdade, tem muitas vantagens: valores mais competitivos, economia de tempo e muita variedade para que a gente possa comparar a fim de tomar a melhor decisão.

Mesmo com a flexibilização e abertura das lojas do varejo físico para um cenário mais semelhante ao período anterior à pandemia, o mês de dezembro de 2020 registrou alta de 53,83% no e-commerce em relação ao mesmo período de 2019. O primeiro trimestre de 2021 acompanhou a curva positiva, com alta de 57,4% em comparação ao mesmo período de 2020. Os dados são do índice MCC-ENET.

Para que você possa aproveitar todas as facilidades da compra virtual, listamos algumas práticas valiosas que te ajudarão a se proteger dos crimes cibernéticos. Confira!

1) Só no boleto?

É certo que a pandemia fez migrar para o mundo virtual milhares de comércios de pequeno porte, que nem sempre tiveram algum suporte para desenvolver seus meios de pagamento.

Nesse cenário, desconfie das lojas de perfil menor que oferecem apenas opções de compra por boleto bancário, depósito ou transferência para conta de pessoa física. Prefira aquelas que te dão um leque maior de opções, como Mercado Pago, PayPal e PagSeguro. Assim, mesmo que sua compra seja feita via boleto, você estará mais protegido em eventual fraude on-line, porque terá meios de contestar e fazer contato com os intermediários da plataforma.

Aproveite e confira as dicas do Serasa para não cair no golpe do boleto falso.

2) Cadeado e atenção ao domínio e remetentes

São comuns os golpes na internet em que usuários fazem compras sem perceber se os sites possuem ao menos o certificado SSL (aquele cadeado identificado no topo do navegador). O cadeado é um indicativo de que o site pode ser confiável e sugere que a operação está sendo protegida por criptografia durante a comunicação entre seu dispositivo e os servidores do comerciante. De qualquer forma, a total confiabilidade do recurso se dá em conjunto com todas as demais dicas desse post.

Esteja sempre atento à grafia do nome da loja na barra de endereços e nos e-mails promocionais. Por uma letra, por exemplo, você pode cair no golpe de sites falsificados, muito parecidos com aqueles em que costuma comprar, desenvolvidos justamente para enganar consumidores.

3) Páginas e anúncios do Facebook

A plataforma é uma das mais usadas para a prática de crimes cibernéticos, e isso porque ainda não tem mecanismos que facilitem a descoberta de páginas falsas, praticamente idênticas às oficiais.

Por isso, máxima atenção aos banners com super promoções que aparecem enquanto você navega e se distrai pelo Facebook. Golpistas criam ofertas de produtos de alta demanda a preços muito sedutores, e seu investimento jamais será recebido de volta!

Viu aquele anúncio que nem parece realidade? Suspeite. Lojas grandes costumam ter o selo de verificação fixado ao lado do nome, mas, em qualquer situação, vale entrar na página do anunciante para investigar sua confiabilidade. Cheque as interações no perfil, número de seguidores e frequência de postagens, dentre outros.

4) WhatsApp Business e Instagram

Sabe aquela promoção de uma loja pouco popular que passou no feed da sua rede social ou que te levou para algum WhatsApp comercial? Levante o histórico de compradores do comerciante para atestar a segurança de efetivar compras por esses canais. Não hesite em saber da sua reputação em plataformas como o Reclame Aqui e aproveite as plataformas on-line de buscas para consultar seu CNPJ, dentre outros dados cadastrais.

Não tem qualquer informação para investigar? Peça você mesmo o CNPJ e o endereço antes de adquirir o produto ou serviço e jamais forneça seus dados pessoais via chat de lojas que você não acionou. Toda e qualquer ação de consumidores para driblar os golpes na internet não deve ser considerada exagerada por nenhum anunciante. Em caso de resistência para passar os dados, desconfie.

5) Truque do carrinho

Nem sempre é fácil entender se o site que você navega é oficial ou uma réplica enganosa desenvolvida para a prática de crimes cibernéticos.

Nesse sentido, não se perca dessa dica. Insira o item que deseja comprar no carrinho e abra uma nova guia no seu dispositivo eletrônico. Nessa guia, você vai digitar manualmente o nome da mesma loja, entrar e verificar se o produto continua no carrinho. Se ele estiver lá, pode comprar com segurança. Se não estiver, corra!

Os cookies utilizados por praticamente todas as lojas virtuais servem também para que seu histórico permaneça ali, mesmo se você fechar a guia ou reiniciar seu dispositivo. Isso não acontece com as páginas falsas.

Agora, salve este post e aproveite as benesses infindáveis que a tecnologia é capaz de nos dar. Ótimas compras!

Fonte: Dialogando - Golpes na internet: 5 dicas para não cair em fraudes no e-commerce (2021)

Deixe uma resposta

O campo mensagem deve conter pelo menos 3 caracteres
Golpes na internet: 5 dicas para não cair em fraudes no e-commerce 2021-11-23 17:07:08
Newsletter

Receba nossas notícias e fique por dentro de tudo ;)