omegle omegle

Omegle: quais os riscos da plataforma que conecta pessoas aleatoriamente?

Campanha: A internet não é um jogo

Omegle: quais os riscos da plataforma que conecta pessoas aleatoriamente?

Se você não resiste a uma rede social, já deve ter ouvido falar da Omegle, plataforma que dispensa cadastros e informações como o nome e a idade de seus usuários. Basta acessar o site para iniciar uma conversa com possíveis novos amigos, por meio de texto, vídeo ou ambos.

O site tenta emparelhar um usuário com alguém que tenha interesses semelhantes, mas não é possível escolher com quem conversar, pois os chats são criados automaticamente. Você aparece como Você e a pessoa com quem passa a interagir é identificada como Estranho. Aliás, já na home do site estão os dizeres “Converse com estranhos”.

A aplicação pode ser muito divertida, especialmente para quem curte aquele “fator surpresa”! Mas vem gerando muitas polêmicas, principalmente entre pais e filhos, afinal, ela pode abrir portas para diálogos saudáveis, mas alguns considerados prejudiciais e até perigosos.

Entenda!

Que usa o Omegle?

Há muitos adultos na plataforma, mas, embora sua indicação etária indique a idade mínima de 13 anos – com permissão dos pais para menores de 18 anos –, Omegle é bastante popular entre crianças a partir dos 7, especialmente nos países em que a rede virou febre: Estados Unidos, Índia, México e Reino Unido.

E isto porque influenciadores a experimentam e contam suas experiências sobre ela no TikTok, atraindo cada vez um número maior de jovens para o site.

Mas quais perigos o Omegle pode gerar?

Por mais que o chat de vídeo conte com uma opção adulta, moderada e não moderada, ela pode ser facilmente acessada por menores de idade ao clicar facilmente em “ok”. E é aí que podem começar os problemas. Imagine os riscos que corre uma criança ao iniciar um encontro por vídeo sem saber quem ou o que deverá aparecer no outro lado da câmera.

Os chats por vídeo podem ser gravados sem a permissão dos usuários. Dependendo do que é captado, essas imagens podem trazer prejuízos enormes às pessoas em eventual vazamento. Infelizmente, a plataforma já é uma das ferramentas mais usadas por abusadores sexuais e consumidores de pornografia da deep web, segundo investigação do setor de jornalismo da britânica BBC News, de 2021.

Além de vídeos sexualmente explícitos com menores de 7 e 8 anos que se espalharam pelo site durante a pandemia, há relatos de racismo, cyberbullying, golpes e grupos extremistas investigados na plataforma. O que aumenta a responsabilidade de pais e responsáveis sobre a presença digital de seus filhos e filhas.

(Entenda quais podem ser os impactos na saúde mental de crianças e adolescentes quando são criados hábitos ruins no uso das redes sociais).

Chat de texto anônimo

Uma terceira pessoa, chamada de “espiã” pode entrar em uma conversa de forma oculta, fazer pedidos aos dois usuários que iniciaram um chat ou só observar a interação.

Neste caso, mesmo se ambos estiverem bem intencionados, já não se sabe mais o que faria o terceiro elemento ao receber alguma informação que a dupla porventura não queira compartilhar com outras pessoas.

Há algum controle dos pais?

O Omegle traz alguns avisos incentivando seu uso seguro, mas nenhuma configuração de controle que possa ser usada por pais ou responsáveis.

O sistema da plataforma ainda não conta com formas robustas o suficiente para monitorar ou filtrar os bate-papos, e também não há qualquer campo que permita aos usuários denunciar outros usuários ou conteúdos impróprios.

Perceba que os riscos potenciais on-line são enormes, mas é necessário ter ciência de que os bate-papos virtuais podem, ainda, virar encontros presenciais. Aí, a atenção deve ser redobrada, inclusive dos adultos.

Neste sentido, é recomendável que pais restrinjam o uso da plataforma para menores de 18 anos, o que pode ser possível ao habilitar o controle dos pais no telefone ou na banda larga residencial.

Como manter a segurança on-line de crianças e jovens?

Converse. Não deixe de trazer pautas como a segurança on-line para dentro da sua casa, de forma recorrente. Da mesma forma como nos aconselham a não conversar com estranhos no mundo físico, crianças e adolescentes devem saber que isso também não pode ser permitido no universo virtual.

Aproveite seu tempo de leitura e confira neste post dicas valiosas entregues pelo Dialogando para uma mediação parental eficaz.

Fonte: Dialogando - Omegle: quais os riscos da plataforma que conecta pessoas aleatoriamente? (2022)

Deixe uma resposta

O campo mensagem deve conter pelo menos 3 caracteres
Omegle: quais os riscos da plataforma que conecta pessoas aleatoriamente? 2022-02-14 17:14:46
Newsletter

Receba nossas notícias e fique por dentro de tudo ;)